Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais C-Studio
7
Especiais C-Studio
i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

"É preciso aprender a envelhecer com saúde"

O ortopedista Carlos Evangelistas alerta para os perigos das quedas e para a necessidade de criar unidades de ortopedia geriátrica para melhorar o prognóstico de recuperação das vítimas
22 de Julho de 2021 às 15:48
Carlos Evangelista lidera do grupo de estudo da área geriátrica da Sociedade Portuguesa de Ortopedia
Carlos Evangelista lidera do grupo de estudo da área geriátrica da Sociedade Portuguesa de Ortopedia
Carlos Evangelista lidera do grupo de estudo da área geriátrica da Sociedade Portuguesa de Ortopedia

Prevenir as quedas é o mote da campanha ‘Não Caias Nisso’, especialmente dirigida à terceira idade. O projeto, desenvolvido pelo GEOGER - Grupo de Estudo da Ortopedia Geriátrica da Sociedade Portuguesa de Ortopedia, é mais uma das boas causas apoiadas pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa. O ortopedista Carlos Evangelista, responsável pela iniciativa, explicou ao CM a importância da prevenção.

Correio da Manhã - As quedas na terceira idade são uma das situações mais incapacitantes e com pior prognóstico. Por que é são tão frequentes?
Carlos Evangelista - As quedas são um problema de saúde pública mundial, particularmente quando pensamos nas fraturas colo fémur. Existem outras fraturas também incapacitantes, mas podemos dizer que o colo do fémur é a fratura mais predominante, com maior probabilidade de causar dependência ou morte. Cerca de 26% das pessoas que sofrem fraturas do colo do fémur morrem ao fim de um ano, muitas delas num grau de grande dependência. Obviamente que, entre muitas causas, o envelhecimento da população em geral aumenta a probabilidade de risco de queda.

- De que forma podem comprometer a qualidade de vida das pessoas? Existem fatores agravantes?
- Temos que pensar que a maioria das pessoas afetadas por esta situação são seniores, privilegiando o sexo feminino, nos quais a fragilidade óssea marcada associada a uma atrofia da massa muscular, são fatores agravantes. A desnutrição assim como as várias comorbilidades associadas que enfraquecem o estado geral, sendo penalizantes nas suas probabilidades de recuperação. Não será de esquecer a inserção social. Ao viverem sozinhos, ou acompanhados de outros seniores, torna difícil a sua reintegração.

- A prática de exercício físico adequado é importante?
- Com o envelhecimento global e o aumento da esperança de vida, é obrigatório melhorar a saúde no futuro. Temos que aprender a envelhecer com saúde e, para tal, temos que entender que necessitamos do ‘exercício do movimento’, como forma de manter o nosso tónus muscular. Não precisamos de grandes ginásios, precisamos de trabalhar a nossa musculatura para um bom dia a dia. Precisamos de tonificar e alongar. Precisamos de cuidar dos sentidos, mantendo a atenção, o foco e o interesse pela vida. Fomentar as amizades e os grupos de amigos. Passear e apanhar sol, também ele fundamental para a vitamina D, para o bem-estar e equilíbrio emocional. Por último, e não menos importante, uma alimentação variada. A prevenção das quedas passa por um conjunto de pequenas atenções cujo objetivo final será sempre a excelência do envelhecimento. E temos de tomar consciência da urgência na criação hospitalar de Unidades de Ortopedia Geriátrica com equipas multidisciplinares direcionadas e vocacionadas para o tratamento rápido, eficaz e envolvente do indivíduo. E também de unidades de fisioterapia e nutricionistas que, direcionados para esta faixa etário, contribuam para uma rápida recuperação.

Nutrientes previnem acidentes

A alimentação deve ser completa, variada e equilibrada. Tomar um bom pequeno-almoço é fundamental na terceira idade: sendo a primeira refeição do dia, deve ser uma boa fonte de energia. Nunca deve estar mais de três horas sem comer. O ideal será fazer pequenos lanches, mas saudáveis: uma peça de fruta fresca, por exemplo. A ingestão de vitamina D e uma adequada exposição solar são também dois hábitos fundamentais para prevenir quedas.

A hidratação não deve ser descurada, pois traz inúmeros benefícios. Ingira entre um litro e um litro e meio de água por dia.

Tome nota

Com 117 anos de existência, o Hospital de Sant’Ana, da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, continua a ser uma referência na área da ortopedia em Portugal. Para responder ao atual desafio do envelhecimento da população dispõe, desde 2010, da primeira unidade de ortopedia geriátrica a nível nacional, onde assegura a prestação de respostas de excelência nesta especialidade. Para marcação de consultas na unidade ligue 21 4585600 ou envie email para: consultashosa©scml.pt