Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais C-Studio
2
Especiais C-Studio
i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

É preciso estar atento aos outros

José Ramos elogia empreendimento da Santa Casa e sente-se bem por estar a ajudar.
26 de Agosto de 2021 às 12:29
José Ramos diz que passou a ter “olhos e ouvidos ainda mais abertos”.
José Ramos diz que passou a ter “olhos e ouvidos ainda mais abertos”.

José Ramos, de 76 anos, é proprietário da imobiliária Valor Espaço, em Benfica, e mora no bairro desde 1976. Nos últimos anos garante que tem assistido, com preocupação, ao crescente envelhecimento da população local.

"A maior parte das pessoas mais velhas estão sozinhas", sublinha, acrescentando que, recentemente, "pessoas que antes tinham um grande nível de vida perderam recursos e estão a passar dificuldades".

"Enquanto coletivo, temos de estar preparados para dar respostas a estas situações", aponta o comerciante, que recebeu de braços abertos a possibilidade de integrar a comunidade de voluntários da rede Radar da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

"Veio aqui uma equipa de jovens, que me explicaram em que consistia o projeto, e fiquei encantado. Temos de reconhecer a importância desta iniciativa. Dar apoio a pessoas que pudessem precisar? É evidente que disse logo que sim", recorda. Desde que recebeu a incumbência de zelar pelo bem-estar dos vizinhos, José Ramos diz que passou a estar "de olhos e ouvidos ainda mais abertos" e que tem sinalizado à Santa Casa da Misericórdia casos que lhe parecem mais dramáticos.

"É preciso estar atento aos outros", afirma. "É meu entender, enquanto cidadão, que devo ter disponibilidade para com o coletivo. E nesse sentido acredito já ter ajudado algumas pessoas. É o meu papel", conclui.