Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais C-Studio
6
Especiais C-Studio
i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Envelhecer em Lisboa com mais autonomia e bem-estar

O programa “Lisboa, Cidade de Todas as Idades” nasceu há dois anos e visa dar uma resposta integrada aos maiores de 65 anos.
3 de Outubro de 2019 às 12:28
Maria da Luz Cabral, diretora da SCML para o programa ‘Lisboa, Cidade de Todas as Idades’
Maria da Luz Cabral, diretora da SCML para o programa ‘Lisboa, Cidade de Todas as Idades’

O programa ‘Lisboa, Cidade de Todas as Idades’ da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) nasceu há dois anos fruto de um "trabalho que teve início, em 2016, com a elaboração por parte da Rede Social de Lisboa do Plano de Desenvolvimento Social de Lisboa (2017-2020)", esclarece Maria da Luz Cabral, coordenadora da unidade de missão da Santa Casa para o programa.

Em 2017, esta estratégia evoluiu para um programa estruturado, de compromisso conjunto entre a Câmara Municipal de Lisboa e a Santa Casa, assumindo a designação de Programa ‘Lisboa, Cidade de Todas as Idades’.  Mas é a "17 de setembro_de_2018", que se "cumpre o mais desejado e inovador protocolo de articulação, com o envolvimento do Instituto da Segurança Social (ISS I.P.), da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARS – LVT), da PSP e das Juntas de Freguesia", revela Maria da Luz Cabral.

O ‘Lisboa, Cidade de Todas as Idades’ visa "dar uma resposta integrada à população com mais de 65 anos na senda da longevidade com autonomia e bem-estar, procurando melhorar a qualidade de vida das pessoas de idade avançada, designadamente ao nível da alimentação e da nutrição", sublinha a mesma responsável.

O programa engloba diversas medidas, "muitas delas já a decorrer no terreno", como o projeto Radar, que "está prestes a entrar na sua terceira fase". De acordo com a coordenadora do programa, o projeto Radar já foi introduzido "em 12 das 24 freguesias lisboetas, permitindo fazer o levantamento de 23% da população idosa da cidade de Lisboa (cerca de 30 mil pessoas)" e das suas necessidades. Maria da Luz Cabral garante que o trabalho "estará concluído até dezembro",mas o objectivo é continuar e estender a iniciativa a todo o concelho.

"Nem sempre é fácil conciliar agendas"

"O programa ambiciona reunir os representantes das principais instituições da cidade de Lisboa. No entanto, nem sempre é fácil conciliar as agendas de instituições tão grandes, com planos de atuação tão diversificados e identidades tão específicas. Por vezes, também não é muito fácil contrariar o excesso de individualização na atuação, tendo em conta que esta forma de trabalho não está interiorizada nas instituições. Assim, a SCML teve a necessidade de se constituir como a entidade promotora/ equipa motor, que estimula a monitorização e a gestão da rede de parceria e do trabalho desenvolvido, sabendo que se baseia na articulação e na responsabilidade conjunta das organizações, em conformidade com o desenvolvimento institucional, assim como a construção conjunta de políticas, de práticas e de procedimentos organizacionais, sempre com uma atitude de questionamento constante com vista ao bem-estar da população. Pretende-se com estas mudanças melhorar a utilização dos serviços e respostas existentes, desenvolver e manter as redes sociais de apoio, promovendo a inovação e o "empowerment" das pessoas e das organizações", conclui Maria da Luz Cabral.

 

Por Boas Causas