Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais C-Studio
7
Especiais C-Studio
i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Nova plataforma apoia quem cuida dos mais frágeis

SupERa tem como missão prestar Suporte contínuo às Estruturas Residenciais para Idosos e lares na prevenção e deteção precoce de infeções do foro respiratório nos residentes.
16 de Julho de 2021 às 09:58
O projeto foi apresentado por Nuno Marques, presidente do Conselho Executivo do Algarve Biomedical Center
Edmundo Martinho, provedor da SCML
Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social
Várias entidades estiveram na génese do projeto
O projeto foi apresentado por Nuno Marques, presidente do Conselho Executivo do Algarve Biomedical Center
Edmundo Martinho, provedor da SCML
Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social
Várias entidades estiveram na génese do projeto
O projeto foi apresentado por Nuno Marques, presidente do Conselho Executivo do Algarve Biomedical Center
Edmundo Martinho, provedor da SCML
Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social
Várias entidades estiveram na génese do projeto

A Plataforma SupERa foi desenvolvida com o objetivo de prestar Suporte contínuo às Estruturas Residenciais para Idosos (ERPIS) e lares na prevenção e deteção precoce de infeções do foro respiratório nos residentes. É um exemplo da implementação das novas tecnologias na resposta ao desafio da longevidade, conforme explica Nuno Marques, presidente do Conselho Executivo do Algarve Biomedical Center.

Correio da Manhã – Como nasceu a SuperERa?
Nuno Marques – De um desafio lançado pela Ministra do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social enquadrado nas várias medidas de apoio aos estabelecimentos residenciais para idosos e outras estruturas residenciais que foram implementadas como resposta à pandemia de Covid-19. A SuPERA foi desenvolvida numa parceria entre o ABC - Algarve Biomedical Center e a Santa Casa de Misericórdia de Lisboa (SCML), nos últimos dois meses. Saliente-se que as medidas implementadas pelo Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (MTSSS), as parcerias estabelecidas com a academia e outras instituições, como a SCML, bem como o esforço das instituições levou a uma redução muito significativa do impacto da Covid-19 nos lares, colocando Portugal com indicadores bem melhores que outros países europeus. Não estamos ainda na altura de relaxar e a SupERa demonstra bem a atenção dada às instituições e o esforço contínuo de fazer mais e melhor pelos nossos idosos.

Que retorno têm tido?
– A SupERa foi lançada há uma semana, no dia 5 de julho de 2021 em Lisboa, numa ERPI e encontra-se atualmente a ser usada em mais de 300 instituições residenciais. O feedback é muito positivo, sendo fácil de utilizar e uma verdadeira ajuda para as instituições.

De que forma a plataforma e a Linha Covid Lares se apoiam mutuamente?
– A Linha Covid Lares fornece apoio às instituições quer no registo e validação dos dados das instituições, quer no acesso e utilização, permitindo retirar as dúvidas existentes às instituições. A linha Covid Lares obterá ainda os dados necessários e apoiará o envio dos oxímetros de forma gratuita para as instituições que tenham acordos de cooperação com a segurança social.

Além de situações agudas, os residentes têm geralmente problemas de saúde crónicos. Também nestes casos é possível usar a plataforma?
– A SupERa foi desde logo preparada para apoiar as instituições noutras patologias do foro respiratório, para além da Covid, sendo útil também noutras situação comuns, como é o caso das pneumonias ou noutras infeções respiratórias. Saliente-se também a sua utilidade para situações como uma agudização da bronquite, da asma ou qualquer outra patologia respiratória.

Consegue estimar quantos idosos poderão usufruir?
– Todos os idosos e restantes utentes residentes nos estabelecimentos residenciais. A SupERa não tem custos para as instituições, nem limite de utentes.

– Sendo uma plataforma de acesso gratuito para as instituições, como será assegurada a sustentabilidade do projeto?
– O projetor está construído para ter um custo anual muito reduzido. O maior custo é o inicial, a sua construção e disponibilização, estando este a ser suportado pela SCML. Os custos anuais são muito reduzidos, tornando a análise de custo-benefício muito favorável ao benefício que se obtém para as instituições.

Como será o futuro da digitalização e das novas tecnologias no cuidado aos idosos?
– A digitalização é essencial e permite apoiar as instituições nos seus registos, garantindo uma melhoria dos cuidados aos seus utentes e também um acesso facilitado ao histórico e aos gráficos evolutivos dos vários parâmetros medidos. A SupERa é uma ferramenta que coloca a tecnologia ao serviço das instituições e dos utentes, sendo muito útil em inúmeras situações de extrema importância para estes últimos, prevenindo e podendo evitar desfechos mais negativos.

Uma ajuda essencial em tempos de pandemia

Facilitar o registo e monitorização dos níveis de saturação de oxigénio, temperatura e frequência respiratória dos residentes em Estruturas Residenciais para idosos (ERPI) e lares residenciais, bem como de outras informações clínicas relevantes é o objetivo da plataforma SupERa.

Os registos obtidos pelo sistema de monitorização ficam posteriormente disponíveis numa área reservada da Instituição e facilitam a análise da evolução das medições daqueles parâmetros de saúde para cada residente.

Para cada conjunto de medições de um residente, a plataforma produz alertas numa escala de três cores (verde, amarelo e vermelho) que orientará os profissionais na tomada de decisão perante o quadro clínico do residente, que pode ser considerado normal, a necessitar de vigilância, ou a necessitar de outros níveis de atuação (nomeadamente, contato para a Linha SNS 24).

O uso da SupERa evita registos em papel e torna mais eficientes as rondas dos profissio-Monitorização de sintomas respiratórios assumiu maior importância  porque os registos podem ser gravados diretamente na SupERa por meio de um smartphone ou tablet.

A Linha Covid Lares tem estado a realizar chamadas de divulgação da SupERa junto de todas as instituições. Além da apresentação da plataforma, dos seus objetivos e mais-valias, também pode ser concluído o processo de ativação por via telefónica. No âmbito da SupERa, as ERPIS podem beneficiar de um oxímetro digital gratuito logo após a concretização da ativação.

Tome nota

A adesão e utilização da plataforma SupERa são gratuitas para todas as instituições aderentes, mas é necessário proceder ao registo no site www.supera.pt. Os profissionais não ficam sozinhos na adaptação à plataforma. O projeto conta com a parceria da Linha COVID Lares (707 20 70 70), que está disponível 24 horas, sete dias por semana, e apoia também as estruturas residenciais na utilização da SupERa.