Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais C-Studio
6
Especiais C-Studio
i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Porto de Sesimbra prossegue o seu desenvolvimento

Em 2018, o porto de Sesimbra manteve o primeiro lugar nos portos nacionais no que respeita ao volume de pescado, com 10 mil toneladas de pescado transacionado. Um marco só possível com o contributo de algumas das mais importantes empresas do setor. Porto tem também vocação de recreio.
25 de Julho de 2019 às 18:13

Depois de estabilizadas as infraestruturas de apoio à pesca, os últimos anos foram dedicados aos melhoramentos da segurança, na vertente de security e safety. Relativamente à primeira vertente, a parceria entre a APSS e a Docapesca permitiu equipar a portaria de acesso ao porto com baias de comando eletrónicas, reforçou os agentes de vigilância 24 horas por dia, 365 dias por ano, criou um posto de vigilância noturna no acesso às pontes-cais, construiu novos portões e vedações e melhorou os existentes, e instalou um sistema permanente de câmaras CCTV. No âmbito da segunda vertente, melhoraram-se as marcações de sinalética horizontal e instalou-se nova sinalética vertical.

Foram criadas áreas específicas para os pescadores poderem trabalhar as redes. Antes, por não haver local adequado, isso trazia inconvenientes tanto para a segurança dos profissionais como para os utentes, bem como para a própria manutenção das redes. Ainda em matéria de melhorias na área da segurança, referência para o processo em curso de remoção de uma embarcação afundada – a nascente da ponte-cais nº 1.

No que respeita à pesca, está prevista para o final do ano de 2019, início de 2020, a substituição integral das defensas da ponte-cais nº 3, ao invés da sua reparação ou substituição parcial.

Relativamente à náutica de recreio, esta está alicerçada, essencialmente, no Clube Naval de Sesimbra. Este é um dos clubes navais da orla portuguesa com melhores instalações e equipamentos, capaz de oferecer condições de infraestrutura e mar necessárias para apoiar e impulsionar modalidades, como a vela, a canoagem, o mergulho e diversas categorias de pesca desportiva, nomeadamente a submarina, que conta com provas organizadas a nível nacional e internacional.

Na vela e na canoagem, o destaque vai para a aprendizagem e prática destas modalidades pela camada mais jovem de Portugal, mas também do estrangeiro. A APSS apoia a organização das provas destas modalidades, válidas para o campeonato europeu, através da disponibilização do areal da Praia do Ouro, das embarcações e do estacionamento.

Seis escolas de mergulho

Também gostaríamos de dar destaque ao mergulho, outra das modalidades de grande importância para a região, responsável pela sua dinamização. Neste momento, existem seis escolas em funcionamento que oferecem excelentes condições para a prática deste desporto que respeita a preservação da fauna e flora marinha locais.

Numa tentativa de capitalizar e desenvolver tudo o que até aqui se fez neste campo, encontra-se em fase de implementação a Estação Náutica de Sesimbra – um projeto que alarga a oferta de entretenimento em Sesimbra oferecendo passeios pela paisagem envolvente, provas gastronómicas e atividades culturais, não esquecendo a Praia do Ouro, detentora de Bandeira Azul, sob jurisdição da APSS. Este projeto é fruto de um esforço conjunto entre a autarquia, a autoridade marítima, as escolas de mergulho, outros agentes turísticos e, naturalmente, da APSS.

Porto vai ter nova infraestrutura

Num futuro próximo, o porto de Sesimbra irá contar com uma nova infraestrutura – a ponte-cais nº 4. Este investimento, de cerca de 3,2 milhões de euros, é da responsabilidade da APSS com apoio de fundos comunitários em 75% do investimento, através do Programa Operacional MAR2020. Esta obra vai ao encontro das preocupações apresentadas pela comunidade de pescadores e irá complementar a ponte-cais nº 3, aumentando as condições de abrigo e de oferta de frente acostável com melhorias do ordenamento e aproveitamento da infraestrutura de pesca, bem como das condições de segurança do exercício da atividade em terra e em área molhada. A construção desta ponte está prevista para o final de 2019 e o início de 2020.