Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais C-Studio
3
Especiais C-Studio
i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Doenças da mama: importância da estética e da sua cura

As doenças da mama são marcantes e assustadoras para grande parte da população, em especial para as mulheres, que têm maior risco. Assim, o tratamento destas doenças permite manter a autoestima, pois a estética e a cura andam juntas
27 de Novembro de 2020 às 07:02


Redigido por Dr. Nuno Abreu (OM44231), Médico especialista em Cirurgia Geral e responsável pela Unidade de Mama do Trofa Saúde Amadora e Loures

A evolução do conhecimento melhorou drasticamente a nossa perceção e os resultados dos tratamentos. Nem tudo é cancro, e mesmo quando falamos de cancro, a possibilidade de cura é muito alta.

Doenças da mama:

• Mastite: doença inflamatória da mama, dolorosa, por vezes associada a abcesso. Na sua maioria, tem origem benigna.

• Doença fibroquística da mama: doença benigna, caracterizada pela presença de quistos e dor. Sofre alterações de acordo com o ciclo menstrual.

• Fibroadenoma: doença benigna da mama, na forma de nódulo, que surge geralmente em mulheres jovens.

• Hiperplasia da mama: proliferação de células mamárias, geralmente benigna. Há um subtipo, a hiperplasia ductal atípica, associada a um risco maior de cancro da mama.

A cirurgia do cancro da mama é, hoje em dia, muito menos radical e menos mutiladora, chamando-se cirurgia conservadora da mama, porque mantém a glândula mamária. Esta técnica cirúrgica implica a remoção do tumor e radioterapia após a cirurgia, produzindo resultados superiores à tradicional mastectomia. Graças a técnicas de oncoplastia, combinação de técnicas de cirurgia plástica com cirurgia oncológica, a reconstrução mamária tornou-se standard e obrigatória, permitindo aliar a eficácia de tratamento a bons resultados estéticos. A mastectomia está reservada apenas para casos específicos e devidamente justificados.

O cancro da mama está associado à ideia de que os tratamentos são agressivos e com repercussões na autoestima. Isto deve-se a uma elevada taxa de mastectomia (remoção cirúrgica da glândula mamária), que se praticava, e que, atualmente tem indicações estritas.

A nível mundial, o cancro da mama é o cancro mais frequente em mulheres, são diagnosticados mais de 2 milhões de cancros de mama por ano, fazendo com que cerca de 10% das mulheres possam vir a ter esta doença.

Com a criação de programas de rastreio, permitiu-se a deteção precoce do cancro da mama, trazendo esperança para os doentes, que estavam habituados a esperar um desfecho fatal. Tornou-se no cancro mais estudado no mundo, com o tratamento mais avançado, e cujo prognóstico mais melhorou.

Devido à sua alta incidência, evoluiu-se no seu tratamento, mais do que em qualquer outro cancro, com a perceção de que é essencial a colaboração próxima entre várias áreas médicas. O tratamento moderno do cancro da mama inclui obrigatoriamente: imagiologia, cirurgia geral, cirurgia plástica, oncologia, radioterapia, anatomia patológica e medicina nuclear, entre outras especialidades médicas.

Além destas, muitas áreas se juntam para produzir um tratamento ideal e individual: enfermagem especializada, psicologia, fisioterapia, estética, instrutores da área de desporto, e terapias complementares. Uma moderna unidade especializada nesta área conjuga todos estes profissionais, produzindo excelentes resultados, e desfazendo mitos antigos.

A cirurgia da mama tem como objetivo tratar a doença subjacente, e produzir um resultado estético ótimo. Uma doente feliz com o resultado da sua cirurgia terá com certeza uma maior qualidade de vida.

No Trofa Saúde Amadora, dispomos de uma ampla equipa de profissionais motivados, e especializados, com um serviço de excelência no tratamento de doenças da mama.