Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais C-Studio
3
Especiais C-Studio
i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Hipertensão arterial: é o seu caso?

A hipertensão arterial é um dos problemas de saúde pública mais importantes em Portugal, sendo responsável por um elevado número de mortes e complicações cardiovasculares, em particular pelo acidente vascular cerebral (AVC) - a principal causa de morte no nosso país
14 de Janeiro de 2020 às 07:05


Redigido por Dr.ª Marisa Santos Freitas (OM55293), médica especialista em medicina geral e familiar no Trofa Saúde Hospital em Braga Norte e Famalicão
As doenças cérebro-cardiovasculares constituem um problema endémico, com cerca de metade dos AVC e dos Enfartes Agudos do Miocárdio (EAM) a nível mundial, e ocorrem em pessoas com hipertensão arterial.
Estima-se que a hipertensão arterial seja responsável por cerca de 7,6 milhões das mortes prematuras (13,5% do total) e por 92 milhões de dias de vida perdidos. Em Portugal, cerca de 3 milhões de portugueses são hipertensos, e quase um milhão e trezentos mil doentes não estão controlados.
Estes números são fortemente influenciados pela evolução clínica desta doença, uma vez que a hipertensão arterial apresenta um período inicial assintomático, ou seja, sem quaisquer sintomas ou sinais de doença, à exceção de valores tensionais elevados, possíveis de serem detetados através do gesto simples de medição da pressão arterial.
Assim, é de extrema importância que a população esteja atenta e faça a medição da sua tensão arterial obedecendo a algumas regras para que esta medição seja correta.

Como medir a sua tensão arterial?
1. Evite avaliar a tensão arterial depois das refeições e da realização de esforços fisícos.
2. Se bebeu álcool, café ou fumou, deixe passar uma hora até à medição.
3. Meça a pressão arterial com a bexiga vazia.
4. Utilize uma braçadeira de tamanho adequado, isto é, que ocupe entre 50% e 80% do diâmetro do seu braço.
5. Escolha um lugar tranquilo e agradável. Sente-se numa cadeira cómoda. Encoste-se, não cruze as pernas e mantenha os pés apoiados. Descanse 5 minutos.
6. Coloque o braço à altura do coração e apoiado numa mesa.
7. Durante a medição não deve falar ou mover-se.
8. Faça três medições com 1 minuto de intervalo e registe o valor mais baixo.
9. Registe os valores para apresentar ao seu médico na consulta.
10. Se estiver a fazer medicação, não altere nem abandone o tratamento sem antes falar com o seu médico.

Como registar?
Desenhe uma tabela com data e hora, tensão arterial sistólica (TAS), também conhecida por “máxima”, tensão arterial diastólica (TAD), também conhecida por “mínima”, e frequência cardíaca (FC) ou pulso (nº de batimentos por minuto).
Na presença de valores de tensão arterial alterados (de um modo geral, valores superiores a 140 mmHg de máxima e de 90 mmHg de mínima), dirija-se ao seu médico para ser avaliada a necessidade de tratamento. Não se esqueça, o diagnóstico e o tratamento precoces da hipertensão arterial, a fim de evitar complicações e morte, dependem da colaboração de todos os profissionais de saúde, mas sobretudo, do próprio doente.