Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais C-Studio
1
Especiais C-Studio
i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Infertilidade: uma doença cada vez mais comum

A condição de infertilidade é uma situação patológica cada vez mais frequente e que afeta um número cada vez maior de casais, quer a nível mundial quer a nível nacional.
13 de Dezembro de 2019 às 07:12


Redigido por Dr. Jorge Costa (OM43323), médico especialista em ginecologia/obstetrícia no Trofa Saúde Hospital na Amadora.
Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a infertilidade conjugal é uma situação clínica em que um casal, tendo relações sexuais 2-3 vezes por semana, desprotegidas com o intuito de engravidar, não alcança a gravidez ao final de 12 meses.

Cerca de 90% dos casais conseguem uma gravidez ao final de um ano. São diversos os fatores que podem influenciar a obtenção e gravidez, uns modificáveis outros não. A exemplo, a idade materna, estilos de vida, os objetivos profissionais, etc. Todos estes têm sofrido alterações ao longo do tempo e têm influenciado negativamente a maternidade: a obesidade, o tabaco, o sedentarismo e ainda a idade cada vez mais avançada em que os casais decidem ter filhos.

Um dos fatores mais importantes será a idade da mulher, que, não podendo ser alterada, deve servir de orientação para a programação da gravidez. Hoje em dia é a maior das dificuldades pois sabe-se que à medida que a idade da mulher avança, vai sendo mais difícil uma gravidez pois a qualidade dos óvulos vai-se degradando, o que dificulta quer a obtenção da gravidez quer a obtenção de embriões saudáveis.

Assim cada vez mais se divide a idade materna em 3 grupos: menor que 35 anos, entre os 35 e os 38 anos e por último superior aos 38 anos. O primeiro grupo deve esperar 12 meses, o segundo 6 meses e o último, deverá procurar imediatamente ajuda especializada de forma a estudar a possível existência de fatores que possam dificultar a gravidez e assim tratar dos mesmos o mais precocemente possível.

A modificação do estilo de vida também é essencial à obtenção de bons resultados: optar por alimentação saudável, não fumar e praticar exercício físico. Um fator dos mais importantes atualmente corresponde à situação profissional da mulher. Este ponto tem originado o adiar da maternidade muito para além do recomendável, de forma que muitos casais procuram ajuda aos 40 anos para ter o primeiro filho.

Tendo em conta este facto e a idade da mulher, existem formas de conservar a qualidade dos óvulos através de técnicas de criopreservação por forma a preservar a qualidade dos mesmos para poderem ser utilizados mais tarde na altura em que a mulher deseja gravidez. Geralmente por volta dos 40 anos. Assim se encontra em alguma destas situações ou precisa de aconselhamento, deverá procurar um profissional de saúde da área que ajude a alcançar os seus objetivos de maternidade.