Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais C-Studio
3
Especiais C-Studio
i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Nutrição e doença periodontal: há relação?

O conceito de nutrição refere-se ao conjunto de processos que vão desde a ingestão de alimentos até à sua assimilação pelas células. As células que dão origem à cavidade oral necessitam de energia para a sua formação e desenvolvimento normal.
14 de Julho de 2020 às 07:20


Redigido por Dr.ª Patrícia Rodrigues (OMD4899), médica-dentista no Trofa Saúde Amadora
A desnutrição pode ser definida como um estado de deficiência ou excesso energético-proteico, ou de outros nutrientes, provocando efeitos adversos do ponto de vista dos tecidos/organismos, comprometendo as suas funções.

Os fatores de risco da desnutrição são múltiplos e podem mais rapidamente levar um indivíduo a este estado se forem associados entre si. Como fatores predisponentes consideramos a diminuição de ingestão de nutrientes, a idade, o consumo de tabaco e de álcool.

Por outro lado, alguns fármacos interferem no processo de absorção de nutrientes, nomeadamente o grupo dos laxantes e dos antiácidos. A má absorção de origem primária deve-se aos efeitos diretos do princípio ativo do fármaco sobre a mucosa intestinal ou sobre os processos intraluminais que determinam a absorção dos nutrientes.

Os efeitos sistémicos provenientes da nutrição podem alterar o desenvolvimento dentário, a qualidade e a quantidade da saliva, bem como afetar o sistema imunitário. A doença periodontal é caraterizada por uma inflamação crónica dos tecidos de suporte do dente associada geralmente com perda óssea.

Pode haver hemorragia espontânea por inflamação gengival, mobilidade dentária e consequentemente perda de dentes. Constitui uma das doenças crónicas mais comuns, sendo especialmente predominante e grave em comunidades carenciadas.

Para haver equilíbrio no combate à doença periodontal, a função da saliva é essencial, pois contém mucina, eletrólitos e anticorpos. A saliva é constituída por aminoácidos (histidina, lisina, arginina), imunoglobulinas e vitaminas A, C e E (com propriedades antioxidantes, responsáveis pelo atraso da proliferação bacteriana na doença periodontal e redução da destruição tecidual).

A arginina é o aminoácido mais abundante no fluido salivar e é importantíssimo devido à atividade da enzima arginase que protege a superfície dentária da adesão da placa bacteriana. Os indivíduos que apresentem sinais de desnutrição apresentam quantidade de enzima arginase diminuída e arginina aumentada.

O aumento da disponibilidade de arginina a partir das glândulas salivares favorece o aumento do pH da cavidade oral, contribuindo para um aumento da frequência e crescimento dos microrganismos agressores e potenciadores da doença periodontal.

Em pessoas desnutridas, a qualidade e a quantidade de saliva estão comprometidas, existindo mesmo um défice de imunoglobina do tipo A e, consequentemente, queixas de xerosotomia (boca seca).

Por outro lado, a doença periodontal se não for tratada atempadamente leva à perda de peças dentárias, provocando dificuldades de mastigação devido à perda de superfícies mastigatórias.

Os indivíduos que se encontrem com a capacidade mastigatória reduzida alteram a seleção dos alimentos, o que leva a uma desregulação a curto-médio prazo na sua dieta. Optam geralmente, no seu dia-a-dia, por alimentos mais calóricos e ricos em gorduras.

A doença periodontal tem um início mais rápido em populações desnutridas e onde se observa dificuldade em manter uma resposta imunitária adequada para combater as bactérias responsáveis pela doença.