Barra Cofina

Correio da Manhã

Especiais C-Studio
7
Especiais C-Studio
i
C- Studio é a marca que representa a área de Conteúdos Patrocinados do Universo
É o local onde as marcas podem contar as suas histórias e experiências.

Tem problemas com o sono? Comecemos pelo diagnóstico

A modificação do sono pode conduzir a alterações no sistema imunitário, da memória e aprendizagem, contribuindo para o aparecimento de doenças psiquiátricas, excesso de peso, diabetes ou hipertensão, ou seja, levando a um maior risco cardiometabólico e consequentemente maior risco de morte
9 de Outubro de 2020 às 07:02


Redigido por Prof. Doutora Amélia Feliciano (OM35978), Pneumologista no Trofa Saúde Amadora e Loures

O sono é um pilar fundamental da nossa saúde. Cada vez mais se dá importância à quantidade e qualidade do sono, pois não só devemos dormir o tempo necessário como também o sono deve ser de qualidade.

Patologias do sono

Ronco: ressonar é muito frequente, mas não é uma situação normal, podendo ser causado por anomalias das vias aéreas, estar associado a hipertensão arterial e até ser sinal de outras doenças como a apneia do sono.

Insónia: se tem dificuldade em iniciar o sono, ou em mantê-lo porque desperta durante a noite, ou acorda mais cedo do que desejaria, sentindo fadiga, alteração da memória, da atenção ou da concentração.

Apneia do sono: sentir sonolência ou cansaço durante o dia, ter a sensação de sono não reparador, ressonar, ou se alguém lhe diz que pára de respirar durante a noite ou até se já acordou com a sensação de falta de ar.

Hipersonia: Períodos diurnos de sono irresistível, chegando mesmo a adormecer durante as atividades.

Distúrbio do ritmo circadiano: dificuldade em adormecer, num horário socialmente aceitável se trabalha por turnos ou se viaja frequentemente atravessando diferentes fusos horários e tem perturbação do seu sono por esse facto.

Parassonia: sonambulismo, terrores noturnos, pesadelos frequentes, despertares noturnos ou acordar para comer.

Doença do movimento: movimentos dos membros inferiores incontroláveis no final do dia ou durante a noite, cãibras ou ranger dos dentes. Saiba, também, que muitas doenças crónicas como a fibromialgia, a fadiga crónica, as doenças neurológicas, as doenças autoimunes e inclusivamente as doenças cardíacas e respiratórias podem perturbar o sono.

Como se pode avaliar o seu sono?

Através de estudos do sono, que são exames que permitem monitorizar vários parâmetros como a atividade cerebral, cardíaca, respiratória e muscular. A monitorização faz-se através de elétrodos externos (não invasivos) que são colocados sobre a pele e ligados a um dispositivo. O estudo do sono completo (ou polissonografia) consiste na monitorização simultânea destes parâmetros durante a noite. Pode ser realizado em internamento ou ambulatório. Existem estudos do sono mais simples (registos poligráficos do sono em ambulatório ou exames cardiorrespiratórios) que fazem a monitorização da atividade cardíaca e respiratória em equipamento portátil. O doente é monitorizado no hospital e levará o equipamento para casa, que no dia seguinte será devolvido.

Outro exame que pode auxiliar no diagnóstico dos distúrbios do sono é a actigrafia, que consiste na colocação de um actígrafo no pulso da mão não dominante, como se fosse um relógio. Este dispositivo vai gravar, durante uma ou duas semanas, o movimento do corpo, determinando os ciclos de repouso/atividade. Permite uma inferência indireta sobre o tempo total de sono, o tempo que demora a adormecer e o tempo que efetivamente está a dormir relativamente ao tempo em que está deitado.

O Trofa Saúde Amadora dispõe de uma equipa multidisciplinar de especialistas vocacionada para os distúrbios do sono, bem como um leque variado de exames do sono, prestando um serviço de excelência na área da Medicina do Sono.

Valorize e proteja o seu sono, pois é um aspeto fundamental para a sua saúde. Aguardamos por si!