Correio da Manhã

Bombeiros levaram passageiros de comboio avariado da CP
Foto Hugo Rainho
Foto Hugo Rainho
Por Edgar Nascimento | 10:06
  • Partilhe
Aparelho avariou no meio do campo, à noite, perto de Vila Nova de Baronia, deixando cerca de 30 pessoas ao abandono.

Foi mais uma viagem de desespero a bordo de um comboio em Portugal. Na noite de sexta-feira, os cerca de 30 passageiros, entre os quais idosos e crianças, que seguiam no comboio entre Casa Branca e Beja ficaram apeados no meio do campo, a três quilómetros de Vila Nova de Baronia, devido à avaria da automotora a diesel. A composição ficou totalmente às escuras.

Os bombeiros de Alvito e a GNR foram chamados, mas o resgate demorou - a avaria aconteceu num local ermo e tiveram de ser cortadas vedações. Alguns passageiros 'fizeram-se' à linha ainda antes da chegada dos bombeiros.

"Estava muito calor, muito abafado no comboio, as pessoas estavam cá fora, algumas com ansiedade", relatou ao CM Luís Marques, bombeiro da corporação de Alvito, que acorreu ao local com 5 veículos e 12 operacionais. Os passageiros foram levados para Vila Nova da Baronia, seguindo de táxi (a expensas próprias) ou com familiares até Beja. Os bombeiros transportaram 15 passageiros em duas viaturas até Beja.

O presidente da Câmara de Beja, Paulo Arsénio (PS), reagiu nas redes sociais e acusou a CP de "desaparecer". O autarca condenou a "vergonha da CP que não teve uma palavra para com os bombeiros e a GNR, nem para com os passageiros, abandonados no meio do campo". Segundo o autarca, ninguém da empresa explicou o que se passou nem disponibilizou transporte alternativo.

O Correio da Manhã solicitou esclarecimentos à CP, mas não obteve qualquer resposta em tempo útil. 

PUBLICIDADE
SAIBA MAIS
Pouca velocidade
O Alfa Pendular pode atingir 220 km/h. Mas na rede ferroviária apenas pode atingir essa velocidade nalguns troços: Ovar-Pampilhosa, Alfarelos-Entroncamento, Setil-Lisboa e Fogueteiro-Torre Vã.

153
Os estudos e preparação de obra do comboio de alta velocidade (TGV), uma decisão do Governo de José Sócrates, custaram 153 milhões de euros, segundo o Tribunal de Contas.

Vencimentos
Segundo o último Relatório e Contas publicado no site da CP, relativo ao ano de 2016, a remuneração anual dos três membros do conselho de administração, à data, somava 256 633,28 € brutos.

Siga o CM no Facebook.

  • Partilhe
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE