Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
6

Marcelo elogia liderança de Guterres na ONU "em condições muito difíceis" e critica cegueira face às alterações climáticas

Presidente considera que "está a dar um exemplo com o seu roteiro".
Lusa 23 de Setembro de 2019 às 02:32
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, considerou esta segunda-feira que António Guterres tem tido um mandato de "grande sucesso" como secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), "em condições muito difíceis", e manifestou-lhe "apoio integral".

O chefe de Estado português falava no final de um encontro com António Guterres, no seu gabinete nas Nações Unidas, em Nova Iorque, antes da Cimeira da Ação Climática desta segunda-feira e do debate geral da 74.ª Assembleia Geral da ONU, que começa na terça-feira.

"Portugal reafirma, um ano mais, um apoio integral às opções, às prioridades do secretário-geral António Guterres, todas elas, num mandato que tem sido um grande sucesso, em condições muito difíceis, à escala universal e à escala regional: uma grande indefinição económica, social, política, e com grandes tensões e conflitos potenciais", declarou, perante a comunicação social.

Marcelo, por outro lado, critica a "cegueira" face às alterações climáticas e elogia Portugal
O Presidente português tem criticado a "cegueira" de decisores políticos a nível mundial face às alterações climáticas e, em contraponto, tem elogiado Portugal, considerando que "está a dar um exemplo com o seu roteiro".

Marcelo Rebelo de Sousa, que vai intervir hoje, em Nova Iorque, na Cimeira da Ação Climática convocada pelo secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, tem apoiado a sua ação nesta matéria, bem como as manifestações de estudantes por todo o mundo, subscrevendo o lema de que "Não há planeta B".

Em 22 de junho, dirigindo-se a um grupo de jovens ativistas, em Lisboa, disse-lhes: "Eu já apoiei a ideia de uma declaração de estado de emergência climática. Espero que seja aprovada brevemente".

Embora tenha afirmado na sexta-feira, em Viseu, que tenciona "continuar a comer carne, nomeadamente carne de vaca", a propósito da decisão da Universidade de Coimbra de retirar a carne de vaca das cantinas por razões ambientais, o chefe de Estado apelou recentemente a "uma mudança radical de hábitos de vida" pela preservação da Terra e da espécie humana.

"Devemos perceber, de uma vez por todas, que, em face de certos fenómenos, como as alterações climáticas e o aquecimento global, a espécie humana encontra-se, ela própria, ameaçada. Se nada fizermos, se nada mudarmos, a humanidade corre o risco de extinção. Um risco que se apresenta num horizonte temporal cada vez mais próximo", escreveu, no dia 05 de junho.

Numa mensagem para assinalar o Dia Mundial do Ambiente, Marcelo Rebelo de Sousa defendeu que "é urgente mudar de vida" e que todos têm de participar nessa mudança, combatendo "a dependência de fontes não renováveis de energia, o desperdício alimentar e a produção desmedida de lixo doméstico, o uso desmesurado de plásticos".

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)