Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
6

40 anos de prisão por morte de líder sérvio

A justiça sérvia decidiu esta quarta-feira o futuro dos dois principais acusados do assassinato do primeiro-ministro Zoran Djindjic a 12 de Março de 2003. A sentença ditou a condenação à pena máxima de 40 anos de prisão.
23 de Maio de 2007 às 12:14
Djindjic, chefe do primeiro governo democrático da Sérvia após a queda de Milosevic em 2000, foi morto com um tiro no peito quando saía do edifício sede do governo. Tinha 52 anos.
Milorad Ulemek e Zvezdan Jovanovic, dois membros das forças militares do país, declararam-se culpados esta quarta-feira no Tribunal de Belgrado.
O primeiro acusado foi o cérebro do ataque. O segundo, um antigo combatente das guerras da Bósnia e do Kosovo e que já havia sido condenado igualmente a 40 anos de prisão pela morte do ex-presidente sérvio Ivan Stambolic em 2000 a mando de Milosevic, perpetrou o disparo.
O Ministério Público considerou que o assassinato teve motivações políticas e visava impedir a extradição de criminosos de guerra para serem julgados no Tribunal Penal Internacional de Haia. As acusações implicavam ainda mais dez homens, entre os quais membros de uma unidade secreta da polícia, condenados a penas de prisão que vão desde os oito a 35 anos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)