Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
4

Ameaça de intervenção da Rússia na Ucrânia aumentou

Cresce presença militar junto à fronteira.
6 de Agosto de 2014 às 12:26

O primeiro-ministro polaco, Donald Tusk, assegurou esta quarta-feira que "a ameaça de uma intervenção da Rússia na Ucrânia é agora maior", já que Moscovo aumentou nos últimos dias a sua presença militar junto à fronteira ucraniana.

Em declarações à imprensa, Tusk assinalou que "não existem até agora indicações de que a Polónia possa ser alvo de uma agressão russa", adiantando: "Contudo, nesta situação temos de estar mais bem preparados".

O chefe do governo polaco defendeu as sanções impostas pela União Europeia contra a Rússia como a melhor via para enfrentar o Kremlin, considerando ser aquela também "a forma mais barata de responder" à provocação russa.

"Se não tivesse havido reação por parte da Europa, os efeitos seriam desastrosos, talvez não agora, mas no futuro", disse Tusk, lembrando que toda a União Europeia e não apenas a Polónia suportarão os custos da imposição de sanções a Moscovo.

Até agora, só Varsóvia "sofreu represálias" pela aplicação de sanções europeias à Rússia, tendo Moscovo decidido proibir a importação de frutas e verduras polacas.

A decisão, que entrou em vigor no passado dia 1, afeta sobretudo a maçã, da qual a Polónia é o principal produtor mundial, que tinha a Rússia como um dos seus principais mercados.

Ucrânia Rússia Donald Tusk Polónia
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)