Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
6

António Costa apela a maioria clara

António Costa, candidato socialista à Câmara Municipal de Lisboa, insistiu este sábado no pedido de maioria “clara e consistente” para que a governação da cidade não dependa de “jogos partidários” das coligações.
19 de Maio de 2007 às 16:08
O antigo ministro da Administração Interna, que falava na apresentação, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, da lista socialistas às eleições intercalares, agendadas para o dia 15 de Julho, salientou que “se os lisboetas deram uma maioria clara e consistente saberão a quem pedir conta”.
A lista, liderada por António Costa, é constituída por cinco independentes nos primeiros dez lugares e por nove mulheres entre os 17 candidatos efectivos.
Em segundo lugar na lista do PS ao executivo camarário surge o arquitecto Manuel Salgado (independente), seguindo-se Ana Sara Brito, membro da Comissão Administrativa da Câmara de Lisboa e ex-coordenadora da campanha eleitoral de Manuel Alegre.
O deputado e secretário nacional do PS para a Organização, Marcos Perestrello, ocupa a quarta posição da lista e a independente Rosália Vargas, directora nacional do programa ‘Ciência Viva’, o quinto lugar.
Em sexto lugar aparece José Cardoso da Silva, membro da actual comissão administrativa da Câmara de Lisboa, e em sétimo a independente Gabriela Ventura, gestora de fundos comunitários.
Rosário Farmhouse, directora do Serviço Jesuíta aos Refugiados e membro do Conselho Consultivo para os Assuntos da Imigração, surge em oitavo lugar, seguindo-se Helena Freitas (indpendente), assessora do Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenhian. O décimo lugar é pertence a Manuel Brito, ex-presidente do Instituto Nacional do Desporto.
Na cerimónia de apresentação, António Costa prometeu ainda um programa a três tempos para a autarquia. O “tempo de urgência” para sanear as finanças do município, o “tempo de fazer grandes pequenas coisas” pela cidade e o tempo de preparação de um “projecto a médio prazo”, além das eleições autárquicas em 2009.
Ver comentários