Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
9

Audição de presidente do INEM com 'Não há estrelas no céu'

Graves acusações.
Lusa 24 de Junho de 2015 às 13:32
Paulo Campos optou por responder aos deputados com o aumento de meios que se registou no instituto nos últimos tempos
Paulo Campos optou por responder aos deputados com o aumento de meios que se registou no instituto nos últimos tempos FOTO: Manuel de Almeida/Lusa

A audição do presidente do INEM teve esta quarta-feira como pano de fundo a letra da música 'Não há estrelas no céu', com o deputado José Junqueiro a dar o primeiro acorde, questionando Paulo Campos se acha que "o mundo inteiro se uniu" para o tramar.


Solicitada pelo PS, a propósito das "graves disfuncionalidades na rede da emergência médica", a audição começou com graves acusações do deputado socialista José Junqueiro, que elencou a diminuição de meios, físicos e humanos, o mau estar no interior do instituto e os inquéritos em curso como exemplos do que se passa no INEM.


"O tempo de resposta aumentou, há menos meios e o prestígio do INEM está em causa", afirmou José Junqueiro.


Sobre o recente anúncio do reforço de meios para o instituto, José Junqueiro deixou uma pergunta a Paulo Campos: "Vai fazer em quatro meses o que não foi feito em quatro anos?".


O deputado optou depois por sintetizar a sua intervenção com um trecho de uma música cantada por Rui Veloso e da autoria de Carlos Tê. "Acha que o mundo inteiro se uniu para o tramar?", questionou.


Aumento de meios
Paulo Campos optou por responder aos deputados com o aumento de meios que se registou no instituto nos últimos tempos e que deverá prosseguir ainda ao final do ano.


O presidente do INEM, que sublinhou estar no cargo pela carreira que desenvolveu na área da emergência médica e não por escolha política, disse que sofreu "uma tentativa de assassinato de caráter nos últimos meses", numa referência a denúncias de alegadas irregularidades e privilégios que o envolveram, bem como à sua mulher, e que estarão a ser investigadas.


Para Paulo Campos, e na senda da música de Rui Veloso, levada à audição por José Junqueiro, no INEM não existem agora "estrelas no céu".


"As nossas estrelas são os 1.226 profissionais, que deverão ser 1.642 ainda em 2015", disse.


A esta audição assistiram vários diretores de serviço do INEM, o que, para Paulo Campos, desmente as acusações de que todos os diretores se estão a demitir.


Sobre esta presença, José Junqueiro aproveitou para trazer de volta a música de Rui Veloso, avisando Paulo Campos de que, um dia, "por mais amigos que tenha", se sentirá "sempre sozinho".

INEM Paulo Campos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)