Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto

Brasileiros pedem que Governo português reconheça ilegitimidade de Temer

Manifestantes estiveram em protesto em Lisboa.
30 de Outubro de 2016 às 19:12
Manifestantes em protesto em Lisboa
Manifestantes em protesto em Lisboa
Manifestantes em protesto em Lisboa
Uma dezena e meia de cidadãos brasileiros manifestaram-se este sábado em Lisboa contra o Presidente do Brasil e apelaram ao Governo português para que se junte "a outras vozes" que não reconhecem a legitimidade de Michel Temer.

Os manifestantes, que estavam de olhos vendados com uma faixa preta, exibiam uma outra faixa onde podia ler-se "Golpe nunca mais" e gritavam "Fora Temer".

"A ideia [deste protesto] é levantar a consciência global e estamos articulados com outras pessoas, não só brasileiros, mas que se sensibilizaram pela causa democrática, e que também têm lutado em outras capitais europeias", disse o ativista Caio Novais à agência Lusa.

Caio Novais, que integra a Frente Democrática Brasileira de Lisboa, sublinhou ainda que um segundo objetivo desta iniciativa, que decorreu na Praça do Rossio, em Lisboa, "é chamar a atenção, principalmente, do Governo português para que se junte a outras vozes de outros países que também não reconhecem este Governo ilegítimo que agora toma conta do Brasil".

Esta iniciativa ocorreu um dia antes da XI Conferência de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), à margem da qual Michel Temer recebe em audiência o Presidente da República português, Marcelo Rebelo de Sousa.

Michel Temer tomou posse a 31 de agosto último, substituindo Dilma Roussef no cargo, depois de esta ter sido condenada por ter assinado três decretos de créditos suplementares em 2015 sem autorização do Congresso e por ter usado dinheiro de bancos públicos em programas do Tesouro, realizando manobras contabilísticas, as popularmente chamadas "pedaladas fiscais".
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)