Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
1

Bruno de Carvalho diz que Benfica não pediu as buscas

Líder leonino diz que documento é um "atentado à inteligência humana".
18 de Outubro de 2016 às 17:41
O ex-presidente do Sporting, Bruno de Carvalho
O ex-presidente do Sporting, Bruno de Carvalho FOTO: Filipe Farinha
O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, reagiu na tarde desta terça-feira ao comunicado do Benfica sobre as buscas da Polícia Judiciária no estádio da Luz, afirmado que o documento é um "atentado à inteligência humana".

"Decidir fazer esta intervenção quando li o comunicado, que acho que é um atentado à inteligência humana e, sobretudo, àqueles que, como eu, andam no futebol", afirmou Bruno de Carvalho em conferência de imprensa.

"Demoraram sete dias a saber o que todos nós sabíamos que tinha acontecido no estádio da Luz e depois o clube faz um comunicado a dizer que as mesmas buscas tinham derivado de uma atitude do próprio clube. O que o clube fez foi uma queixa sobre mim à federação, não pediu para averiguar nada. Podia pensar-se que isto foi uma boa ação do Benfica, mas a verdade é que tudo isto parte de uma denúncia feita pelo Sporting", acrescentou. 

O Benfica reiterou esta terça-feira o seu empenho no "cabal esclarecimento e célere decisão" do denominado 'caso dos vouchers', espoletado por denúncias e acusações proferidas há mais de um ano pelo presidente do Sporting.

Em comunicado, e "na sequência de notícias vindas a público sobre o processo", os tricampeões nacionais de futebol relembram que, após as "insinuações e acusações" proferidas por Bruno de Carvalho, a 05 de outubro de 2015, "solicitaram à Federação Portuguesa de Futebol (FPF) que remetesse uma participação às instâncias competentes, visando promover a averiguação da situação referida no mais curto espaço de tempo".
Bruno de Carvalho Sporting Benfica Polícia Judiciária buscas vouchers
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)