Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
9

Bruxelas respeita vontade democrática dos húngaros sobre refugiados

Consulta popular teve uma participação de 43,23% dos eleitores.
3 de Outubro de 2016 às 12:29
O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán
O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán FOTO: Bernadett Szabo/Reuters
A Comissão Europeia disse esta segunda-feira que respeitará "a vontade democrática" expressa no resultado do referendo de domingo, na Hungria, sobre as quotas de refugiados na União Europeia (UE), invalidado por falta de participação.

"Respeitamos a vontade democrático dos húngaros que votaram e dos que não votaram", disse, na conferência de imprensa diária, o porta-voz da Comissão Europeia, Margaritis Schinas.

O referendo de domingo, sobre a chave de repartição de refugiados pelos Estados-membros proposta pela Comissão Europeia, foi declarado inválido por falta de participação.

A consulta popular teve uma participação de 43,23 por cento dos eleitores, número inferior aos 50% necessários para que o escrutínio fosse legalmente válido.

O "não" ganhou a simpatia dos votantes, obtendo 98,24% dos votos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)