Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
1

Câmara de Lisboa não vende ações da Valorsul e quer comprar mais

Autarquia está em litígio com o Governo devido à alienação, pelo executivo, de 100% da sua participação na Empresa Geral de Fomento.
11 de Maio de 2014 às 09:57

A Câmara de Lisboa não vai vender as suas ações na Valorsul, empresa de valorização e tratamento de resíduos sólidos, e quer mesmo comprar mais, assegurou o vereador municipal da Higiene Urbana.

"Não [vamos vender], de todo. Aliás, queremos comprar. Há a possibilidade de comprar ações já há muito tempo. Temos o direito de opção das ações da Parque Expo. A nossa tendência é a aquisição. Não conheço nenhum município que queira vender", disse o socialista Duarte Cordeiro.

A Câmara de Lisboa está em litígio com o Governo devido à alienação, pelo executivo, de 100% da sua participação na Empresa Geral de Fomento (EGF), uma 'sub-holding' do grupo Águas de Portugal para o setor dos resíduos.

A EGF é responsável pela recolha, transporte, tratamento e valorização de resíduos, através de 11 empresas concessionárias, entre as quais a Valorsul, que atua em 19 municípios da Área Metropolitana de Lisboa e da zona Oeste, também acionistas. A empresa serve os municípios de Alenquer, Alcobaça, Amadora, Arruda dos Vinhos, Azambuja, Bombarral, Cadaval, Caldas da Rainha, Lisboa, Loures, Lourinhã, Nazaré, Óbidos, Odivelas, Peniche, Rio Maior, Sobral de Monte Agraço, Torres Vedras e Vila Franca de Xira.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)