Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
5

CDS deixa PSD sozinho na coadoção

Centristas contra momento para fazer referendo e optam pela abstenção. Custos podem ir até oito milhões.
17 de Janeiro de 2014 às 16:04
A proposta de referendo foi ontem debatida no Parlamento
A proposta de referendo foi ontem debatida no Parlamento FOTO: Mário Cruz/LUSA

O CDS-PP abstém-se hoje na votação do referendo, proposto por deputados do PSD, à adoção e coadoção de crianças por homossexuais. A decisão foi do partido, num tema que divide a coligação pela pertinência da consulta popular num momento de crise. No PSD acredita-se que, apesar de estar sozinho a defender a consulta, o projeto de resolução será aprovado: há uma diferença de dez deputados entre o PSD e a esquerda. Contudo, ninguém arrisca um veredito final de aprovação .

O CM apurou que uma consulta popular pode custar entre cinco a oito milhões de euros e não há prazos para realizar o referendo. Alguns deputados ouvidos pelo CM, designadamente, o principal autor da proposta, Hugo Soares, consideram que a consulta nunca poderá ser feita até às eleições europeias de maio. Hoje, somar-se-ão declarações de voto e, no PS - que é contra o referendo, mas deu liberdade de voto - podem surgir surpresas, com dois a três deputados a votarem com os sociais-democratas.

Na coligação há quem não acredite que, mesmo aprovado no Parlamento, o projeto passe no crivo do Tribunal Constitucional. Isto porque, as perguntas não versam exclusivamente sobre a coadoção de crianças por homossexuais, mas também sobre a adoção, um tema que nem o ex-primeiro-ministro José Sócrates (PS) arriscou aprovar quando apadrinhou a proposta de casamento entre homossexuais.

coadoção CDS PSD
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)