Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
6

CGD vai analisar reembolso ao Estado de 900 ME no plano de negócios até 2017

A CGD só é obrigada a reembolsar os 900 milhões de euros em obrigações contingentes.
Lusa 15 de Dezembro de 2015 às 16:31
O presidente executivo da CGD José de Matos
O presidente executivo da CGD José de Matos FOTO: Sérgio Lemos

O presidente executivo da CGD afirmou esta terça-feira que a devolução dos 900 milhões de euros que o Estado injetou será analisada no plano de negócios até 2017, acrescentando que outros bancos fizeram reembolsos porque houve aumentos de capital pelos acionistas.

"Não reembolsamos até agora e vamos ver no nosso plano de negócios até 2017 quais são as capacidades que temos para reembolsar", disse o CEO da Caixa Geral de Depósitos, José de Matos, aos jornalistas, à margem da conferência da SIC Notícias "Portugal 2016 -- O Futuro do País e das Empresas", que decorreu na Alfândega do Porto.

Segundo o responsável, a CGD só é obrigada a reembolsar os 900 milhões de euros em obrigações contingentes (designadas 'CoCos'), injetados em 2012, se tiver "o cumprimento de exigências regulamentares em matéria de rácio de capital mais um determinado 'buffer' [almofada de capital]" acima do valor mínimo exigido".

CGD Caixa Geral de Depósitos José de Matos reembolso estado
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)