Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
3

Acordo quer limitar aquecimento global

Decisão da Cimeira do Clima.
Lusa 12 de Dezembro de 2015 às 11:34

Laurent Fabius propôs um acordo climático que prevê uma verba de 90,9 mil milhões de euros para os países em desenvolvimento
Laurent Fabius propôs um acordo climático que prevê uma verba de 90,9 mil milhões de euros para os países em desenvolvimento FOTO: Reuters

A presidência francesa da Cimeira de Paris apresentou este sábado aos representantes de 195 países presentes o projecto de acordo final sobre alterações climáticas, que visa conter o aquecimento global abaixo dos 2 graus celsius e limitá-lo aos 1,5.


O ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Laurent Fabius, anfitrião da cimeira, propôs um acordo climático que prevê uma verba de 100 mil milhões de dólares (90,9 mil milhões de euros) para os países em desenvolvimento a partir de 2020.


"Estamos quase no final do caminho e, provavelmente, no início de um outro", disse o ministro francês dos Negócios Estrangeiros, na sessão plenária, com a voz embargada e quase em lágrimas, depois de ter agradecido ao seu antecessor Manuel Pulgar-Vidal e ter por isso recebido uma salva de palmas.


Laurent Fabius presidiu cerca de uma quinzena de conversações em Paris que terminaram hoje com negociações durante toda a noite e conseguiu entregar o acordo aos ministros, que agora decidirão se o aprovam ou não.

"Mudar o mundo"

O presidente francês, François Hollande, pediu este sábado aos delegados que participam na cimeira que adotem o texto do acordo que foi apresentado, acrescentando que "será um grande gesto para a humanidade".


Hollande fez uma intervenção logo após o presidente da Cimeira do Clima (COP21), o ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Laurent Fabius, ter dado a conhecer os principais pontos do texto que vai ser submetido hoje à tarde aos participantes do plenário.


Segundo Hollande o documento é "o primeiro acordo universal da história das negociações climáticas".

"Estamos num momento decisivo", sublinhou o chefe de Estado francês.


François Hollande dirigiu-se aos 196 delegados e afirmando que têm a "possibilidade de mudar o mundo" caso o documento venha a ser aprovado.

Cimeira de Paris ministro dos Negócios Estrangeiros aquecimento global
Ver comentários