Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
6

Economia cresceu no segundo trimestre

Instituto Nacional de Estatística confirma subida de 1,1% PIB
6 de Setembro de 2013 às 11:52
INE confirma crescimento do PIB
INE confirma crescimento do PIB FOTO: Geri Lavrov / Getty Images

O Instituto Nacional de Estatística (INE) confirmou esta sexta-feira o crescimento de 1,1% do PIB no segundo trimestre do ano, face ao trimestre anterior, mas piorou a estimativa da contração em termos homólogos de 2% para 2,1%.

Há três semanas o INE publicou a sua estimativa rápida para as contas nacionais trimestrais referentes ao segundo trimestre, dando conta de um crescimento trimestral do Produto Interno Bruto (PIB), em cadeia, pela primeira desde os últimos três meses de 2010, ou seja, após 10 trimestres consecutivos de quebra.

O INE confirma agora que o PIB cresceu 1,1% entre abril e junho deste ano, em comparação com os primeiros três meses do ano, altura em que caiu 0,4% também em cadeia (face ao trimestre imediatamente anterior).

Segundo o INE, existem dois grandes fatores que motivam este crescimento. A procura interna apresenta um contributo positivo para o PIB na ordem dos 0,8 pontos percentuais.

Dentro da procura interna, existe uma queda menos acentuada do consumo privado porque as famílias gastaram mais em bens não duradouros, como os bens alimentares.

Por outro lado, houve também uma redução muito menos expressiva do investimento, que passa de uma queda em termos homólogos de 15,9% no primeiro trimestre, para uma redução de 2,3% no segundo trimestre.

Esta menor queda no investimento explica-se com uma queda reduzida a metade no investimento em construção (que passa de -26,1% para -13%) e ainda pelo investimento em equipamento de transportes, que segundo o INE, se explicam não só pelo efeito base (a queda já tem sido tão grande que é mais fácil a variação positiva ter valores expressivos) como também pelo "impacto da importação de aeronaves".

EXPORTAÇÕES SOBEM 5,5% EM JULHO E IMPORTAÇÕES AVANÇAM 10,5%

As exportações mantiveram uma tendência de subida em julho, com uma variação homóloga de 5,5% e as importações avançaram 10,5%, segundo o INE.

As estatísticas do comércio internacional do INE, divulgadas esta sexta-feira, apontam também para uma subida das exportações e das importações de bens no trimestre terminado em julho, face a igual período do ano passado.

Neste período, o INE sinaliza um aumento do défice da balança comercial no montante de 90,1 milhões de euros e uma diminuição da taxa de cobertura de 0,1 pontos percentuais.

Na comparação mensal, o aumento de 5,5% das exportações prende-se com o resultado da evolução quer do comércio intracomunitário, quer do extracomunitário, "em especial devido aos combustíveis minerais", refere o INE. 

Já o aumento de 10,5% das importações face a julho do ano passado, resultou sobretudo da evolução do comércio intracomunitário, "sobretudo devido aos combustíveis minerais e outro material de transporte".

Em termos de evolução trimestral, o INE destaca, ao nível das grandes categorias económicas, os aumentos verificados nas exportações de combustíveis e lubrificantes (20,8%), produtos alimentares e bebidas (9,8%) e de máquinas e outros bens de capital (9%), enquanto as exportações de material de transporte e acessórios registaram uma alteração de 3,3%.

Nas importações, em igual período, o INE salienta os acréscimos no material de transporte e acessórios (9,4%), produtos alimentares e bebidas (8,8%) e nos combustíveis e lubrificantes (7,2%).

INE PIB economia crescimento
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)