Joaquín Almunia defende urgência da união monetária

Ex-vice-presidente da Comissão Europeia diz que união "está incompleta".
Por Lusa|14.12.15
  • partilhe
  • 0
  • +
Joaquín Almunia defende urgência da união monetária
Joaquín Almunia, ex-vice-presidente da Comissão Europeia Foto EPA

O ex-vice-presidente da Comissão Europeia afirmou esta segunda-feira que as medidas de política monetária do BCE têm contribuído para a estabilidade de preços na zona euro, mas defendeu a urgência da conclusão da união monetária, que "está incompleta".

"O balanço [da implementação da moeda única] é positivo, mas não estou muito otimista acerca dos resultados, uma vez que alguns não foram alcançados. A União Económica e Monetária não está completa, não temos união bancária. Temos regras de disciplina fiscal, mas não temos uma união fiscal", disse Joaquín Almunia, em Lisboa.

O ex-vice-presidente da Comissão Europeia, que esta segunda-feira participou num almoço palestra sobre 'Como colher os benefícios do Euro', promovido pelo Centro de Estudos Europeus do Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica Portuguesa, classificou de positiva a intervenção do Banco Central Europeu (BCE) na estabilidade de preços na zona euro, mas salientou que não pode ser o banco central a "fazer tudo sozinho".

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!