Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto

Falsa juíza apanha 4 anos e meio de prisão

A auxiliar de acção médica que se fez passar por juíza concretizando dezenas de burlas foi esta sexta-feira condenada a quatro anos e seis meses de prisão pelo Tribunal de São João Novo, no Porto.
23 de Novembro de 2007 às 17:31
Olga Almeida terá ainda de indemnizar dez pessoas e entidades lesadas no valor total de 30.247 euros.
A arguida era acusada de 83 burlas, 32 consumadas e 51 tentadas, e de um crime de associação criminosa. Acusação não validada pelo tribunal, que apenas deu como provada a maioria das burlas.
De acordo como juíz-presidente António Ramos, a opção por uma única resolução criminosa visou não privar Olga Almeida por muito tempo da companhia dos filhos, que são 11, dos quais três continuam à sua guarda.
A mulher, que se encontra em prisão preventiva à ordem deste processo há três anos, está ainda pronunciada por outros 116 crimes do mesmo género, num processo autónomo ainda sem data de julgamento marcada. A defesa já anunciou que vai pedir para que Olga Almeida seja colocada em liberdade condicional.
Dos 28 co-arguidos, só dois foram condenados. Juvenal Monteiro vai pagar uma multa de 792 euros e Sónia França uma multa de 342 euros.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)