Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
3

Falta de apoio é “estranha” (COM VÍDEO)

A família de Renato Seabra, o autor confesso da morte de Carlos Castro, mostrou ontem estranheza relativamente às afirmações do ex-procurador de Justiça no Bronx, o advogado português Tony Castro, segundo o qual houve "falta de assistência jurídica ao manequim português".
12 de Janeiro de 2011 às 02:01
José Malta estranha declarações de ex-procurador
José Malta estranha declarações de ex-procurador FOTO: Ricardo Almeida

"Bastaria uma chamada telefónica de um defensor legalmente constituído, logo após a sua detenção, para a polícia parar imediatamente o interrogatório e todos os seus direitos serem salvaguardados perante a Lei", considerou Tony Castro.

"Não me parece que essa declaração faça muito sentido. O país deve garantir a presença de um advogado logo que preciso ou informar a família para que o faça. Nós não sabíamos que podíamos nomear advogados mais cedo", disse ao CM José Malta, cunhado do manequim. "A minha expectativa é de que o Renato tenha os seus direitos garantidos", concluiu.

RENATO SEABRA CARLOS CASTRO HOMICÍDIO ASSASSINADO CASTRADO NEW YORK
Ver comentários