Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
4

Pessoa acusou Salazar de se ter afastado da 'inteligência'

Revelação surge em livro a apresentar na quinta-feira.
Lusa 18 de Fevereiro de 2015 às 10:30
Se alguma "simpatia" houve de Fernando Pessoa pelo regime corporativista, claramente se distanciou dele
Se alguma 'simpatia' houve de Fernando Pessoa pelo regime corporativista, claramente se distanciou dele FOTO: Direitos Reservados

Fernando Pessoa, no último ano de vida, em 1935, acusou Salazar de ter afastado de si "o resto da inteligência portuguesa, que ainda o olhava com uma benevolência, já impaciente", numa carta que endereçou ao Presidente da República Óscar Carmona.

A revelação surge no livro 'Fernando Pessoa - Sobre o Fascismo, a Ditadura Militar e Salazar', com textos inéditos do poeta, organizado pelo historiador José Barreto, que é apresentado quinta-feira, na Casa Fernando Pessoa, em Lisboa.

Na introdução, o investigador atesta que, se alguma "simpatia" houve de Fernando Pessoa (1888-1935) pelo regime corporativista, claramente se distanciou dele, nos inícios de 1935, dois anos após a aprovação da Constituição da ditadura do Estado Novo, "para dar lugar a um pensamento coerente de oposição a Salazar e ao seu regime".

Fernando Pessoa Salazar Presidente da República Óscar Carmona inteligência
Ver comentários