Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
3

Costa: "Felizmente" os mercados já não dão ouvidos a Passos

Líder socialista diz que a reação da direita tem sido "destemperada".
Lusa 19 de Novembro de 2015 às 22:40
António Costa, secretário-geral do PS
António Costa, secretário-geral do PS FOTO: José Sena Goulão/Lusa

O secretário-geral do PS considerou esta quinta-feira que, "felizmente", já nem os mercados financeiros "dão ouvidos" ao primeiro-ministro e à ministra das Finanças, contrapondo que reina a "tranquilidade" nas instituições internacionais perante a formação de um executivo socialista.

António Costa fez esta afirmação na parte final do discurso que proferiu num plenário de militantes do PS/Lisboa, em que nunca se referiu ao papel do Presidente da República na presente conjuntura política.

De acordo com o líder socialista, após o parlamento ter reprovado o programa de Governo da coligação PSD/CDS, "a reação da direita tem sido destemperada".

Mas mais, segundo António Costa: Pedro Passos Coelho e a ministra das Finanças, "em Portugal, no estrangeiro, ou junto das instituições financeiras, "de forma absolutamente leviana, andaram a criar uma ideia sobre o país que, se alguém tivesse levado a sério, teria afetado gravemente os interesses nacionais".

"Felizmente, já nem os mercados lhes dão ouvidos. Apesar dos grandes esforços que [Pedro Passos Coelho e Maria Luís Albuquerque] têm feito, temos ouvido a Comissão Europeia com uma posição serena - e só impaciente por não haver condições de haver um Governo que apresente um Orçamento -, temos ouvido palavras de tranquilidade do insuspeito ministro das Finanças alemão sobre o processo político em Portugal e temos o presidente do Eurogrupo e as agências de rating tranquilos", referiu o líder socialista.

PS António Costa PSD CDS Pedro Passos Coelho mercados economia negócios e finanças
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)