Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
6

Hemorragia digestiva na causa da morte de polícia em Cabo Verde

Polícia Judiciária divulgou dados sobre autópsia feita ao corpo do homem de 41 anos.
Lusa 21 de Novembro de 2019 às 19:05
Polícia Cabo Verde
Polícia Cabo Verde FOTO: Getty Images
O agente policial que foi encontrado sem vida na quarta-feira em Assomada morreu devido a uma hemorragia digestiva, conforme os resultados da autópsia realizada esta quinta-feira e divulgados pela Polícia Judiciária (PJ) de Cabo Verde.

A PJ cabo-verdiana adiantou que o resultado da autópsia realizada no Hospital Agostinho Neto, na cidade da Praia, aponta que o agente teve morte natural.

O corpo foi encontrado na manhã de quarta-feira na zona de Chão de Santos/Rua Jardim SOS, na cidade de Assomada, interior da ilha de Santiago.

O agente de 1.ª classe da PN, de 41 anos, era natural da freguesia e concelho de São Lourenço dos Órgãos e residente em Chão de Santos, Assomada. Trabalhava na Esquadra Policial do Comando Regional de Santiago Norte, mas não estava de serviço.

A Polícia Nacional (PN) e a Polícia Judiciária (PJ) informaram que não encontraram quaisquer indícios de uso de arma de fogo ou branca na morte do polícia.

Esta quinta-feira de manhã, o ministro da Administração Interna de Cabo Verde, Paulo Rocha, pediu calma em relação ao caso, até serem conhecidos os resultados da autópsia.

Este é o segundo polícia que morre na ilha de Santiago em menos de um mês, depois de outro na cidade da Praia, que foi atingido por um tiro enquanto realizava uma operação no bairro de Tira Chapéu.

O caso ainda está a ser investigado e as autoridades não informaram sobre a detenção de nenhum suspeito do crime.

Após este caso, o primeiro-ministro cabo-verdiano, Ulisses Correia e Silva, anunciou 14 medidas para combater a criminalidade urbana no país, entre elas a revisão da lei das armas e o agravamento de penas em caso de reincidência criminal.

A Polícia Judiciária informou ainda que o corpo encontrado esta quinta-feira na localidade de Achada Baleia, em São Domingos, é de uma mulher de 44 anos, que se encontrava desaparecida desde quarta-feira, que sofria de problemas de epilepsia e que teve morte por afogamento.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)