Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
3

Herberto Helder: “A morte sem mestre” nas livrarias esta segunda-feira

São 28 poemas inéditos e uma surpresa: um CD com cinco poemas ditos pelo autor.
8 de Junho de 2014 às 15:52
Esta nova obra do poeta terá apenas uma única edição
Esta nova obra do poeta terá apenas uma única edição FOTO: DR

A Porto Editora lança nesta segunda-feira o novo livro de Herberto Helder “A morte sem mestre”. São 28 poemas inéditos e uma surpresa: um CD com cinco poemas ditos pelo autor. Como vem sendo hábito, esta nova obra do poeta terá apenas uma única edição, pelo que é expectável que esgote muito rapidamente tal como aconteceu com “Servidões”.

Na sobrecapa, o título e o nome do autor foram escritos pelo próprio punho do poeta. Numa nota final, o editor explica a razão: “Herberto Helder tem por hábito encadernar os seus livros com papel de embrulho castanho, escrevendo por fora em caneta de feltro vermelha o título e o nome do autor. A sobrecapa da presente edição evoca esse hábito, reproduzindo a sua caligrafia.”

A publicação de “A morte sem mestre” apenas um ano depois de “Servidões” causou alguma surpresa nos meios literários, pois o período de tempo entre duas obras tem andado pela meia dúzia de anos. Por exemplo: entre a “A faca não corta o fogo” (2008) e “Servidões” (2013) distam cinco anos.

Tal como o título sugere, o poeta lembra que a morte não se ensina e não se aprende, somos só nós e ela, e por isso será sempre um abandono. Evocando as palavras de Cristo na cruz dirigidas ao Pai, Herberto Helder questiona:  “(…) Pai, Pai porque me abandonaste?”. Mas o tom não é apenas de lamento, tem um traço de reprovação: ”Ó Pai nosso que estais nos céus, alô, daqui fala da terra ingrata”.

Herberto Helder livro literatura A morte sem mestre
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)