Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
3

Marcelo promulga diploma que flexibiliza prazos para limpezas das matas

Proprietários tinham até hoje para limpar terrenos, mas o Governo decidiu suspender a aplicação de coimas por incumprimento até junho.
Lusa 15 de Março de 2018 às 19:33
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa
Marcelo Rebelo de Sousa

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, promulgou esta quinta-feira o diploma aprovado pelo Governo de manhã para flexibilixar os prazos de limpeza das matas, de forma a prevenir o alastramento de incêndios.

"O Presidente da República promulgou hoje o diploma do Governo, aprovado esta manhã, 'que adapta o regime contraordenacional aplicável à gestão das faixas secundárias de gestão de combustível', previsto no Decreto-Lei n.º 124/2006, de 28 de junho", lê-se numa nota colocada no 'site' da Presidência na Internet.

De acordo com a lei, os proprietários tinham até hoje para limpar as áreas envolventes às casas isoladas, aldeias e estradas, mas o Governo decidiu suspender a aplicação de coimas por incumprimento até junho.

O Conselho de Ministros aprovou hoje "um decreto-lei que determina que autos de contraordenação levantados pela não limpeza de terrenos ficam sem efeitos se, até 31 de maio, o responsável proceder à gestão de combustível a que está legalmente obrigado".

Numa declaração na residência oficial, o primeiro-ministro, António Costa, explicou hoje que a GNR começará no final do mês a levantar autos sobre terrenos ainda não limpos, mas sublinhou que este processo "não é uma caça à multa" e que "não serão aplicadas coimas se até junho as limpezas estiverem efetivamente concluídas".

Inserido no Orçamento do Estado para 2018, o Regime Excecional das Redes Secundárias de Faixas de Gestão de Combustível, que introduz alterações à lei de 2006 do Sistema de Defesa da Floresta Contra Incêndios, indica que até 15 de março "os proprietários, arrendatários, usufrutuários ou entidades que, a qualquer título, detenham terrenos confinantes a edifícios inseridos em espaços rurais são obrigados a proceder à gestão de combustível".

Ver comentários