Indisciplina cresce nas salas de aula

Há professores que perdem metade da aula a lidar com comportamentos perturbadores. Maioria diz que indisciplina na sala de aula aumentou.
04.04.14
  • partilhe
  • 0
  • +
Indisciplina cresce nas salas de aula
A maioria dos professores perde 10 a 20% das aulas a combater a indisciplina Foto Sérgio Lemos

A indisciplina está a aumentar nas salas de aula e os professores do Ensino Básico queixam-se de falta de formação para combater os comportamentos perturbadores dos alunos. Esta é uma das conclusões de um estudo da Universidade do Minho (UM) que decorre há dois meses.

Mais de 80% dos professores inquiridos (de um universo de mais de 1500) considera que a indisciplina na sala de aula aumentou nos últimos anos. A maioria dos docentes diz que perde entre 10% a 20% do tempo de aula com problemas de indisciplina e 12% (180) gasta quase metade. Sete professores admitiram mesmo que 80 a 90% da aula está condicionada pelo mau comportamento dos alunos. "A indisciplina está relacionada com a utilização de aparelhos eletrónicos como o telemóvel, falar com o colega do lado ou estar desatento. Para os inquiridos, a culpa desta indisciplina é dos pais (38%), das políticas educativas (37%) e dos alunos (35%) ", explicou ao CM João Lopes, do Instituto de Educação e Psicologia da UM. A maioria dos docentes que respondeu ao questionário online tem mais de 20 anos de serviço e 60% dizem que não tiveram formação para lidar com este problema.

O coordenador do projeto está a terminar um outro estudo sobre a formação que os professores do 1º ciclo do Ensino Básico adquirem para ensinar os alunos a escrever e a ler. "Os dados preliminares indicam que os conteúdos ensinados pelas universidades e politécnicos divergem e são muito variados. Perante um obstáculo, o professor tem dificuldade em agir. Há professores que estarão mais bem preparados do que outros. Podemos dizer que também há falta de formação para resolver problemas", referiu João Lopes. Ao CM, o Ministério da Educação diz que medidas como a revisão do programa Escola Segura e a criação de uma plataforma para pais e professores, "deverão ser apresentadas durante este mês".



pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
8 Comentários
  • De Anónimo19.04.14
    Sou do tempo da 4ªclasse; continuava estudos quem tinha interesse, senão os pais tiravam da escola para ir trabalhar como aprendiz de... Nas aulas, quem fizesse barulho, tinha falta, expulso da aula, etc.
    Responder
     
     1
    !
  • De AM12.04.14
    E pior de tudo, que serão estes mesmos que irão comandar o país e muitos lugares de destaque nas próximas décadas!!!Grande futuro temos pela frente! Vai ser bonito vai!!!
    Responder
     
     3
    !
  • De Danny12.04.14
    Expulsem as bestas e está o caso resolvido.
    Responder
     
     3
    !
  • De RUA12.04.14
    TUDO FOSSE TÃO FACIL DE RESOLVER, NÃO QUEREM ESTUDAR RUA,VÃO TRABALHAR. NÃO PODEMOS ANDAR A GASTAR DINHEIRO COM BURROS NA ESCOLA ANOS E ANOS SEM PASSAR. POR CIMA SÃO OS DESTABILIZADORES NAS SALAS DE AULAS E OUTRAS GRAVES
    Responder
     
     4
    !
  • De João Silva10.04.14
    O facilitismo, que os comunistas introduziram no ensino, revela-se contraproducente. Se o Ministério insistir na recusa da expulsão dos alunos criminosos, o futuro próximo do sistema de ensino estatal é a implosão!
    Responder
     
     6
    !