IPO de Lisboa altera transporte de doentes para diminuir despesa

Despesa duplicou nos últimos cinco anos, atingindo os sete milhões de euros em 2016.
Por Lusa|29.05.17

O Instituto Português de Oncologia (IPO) de Lisboa vai mudar a forma de marcar o transporte de doentes e tentar desta forma diminuir a despesa que duplicou nos últimos cinco anos, atingindo os sete milhões de euros em 2016.

Em entrevista à agência Lusa, o presidente do conselho de administração do IPO de Lisboa, Francisco Ramos, adiantou que, a partir de quinta-feira, o sistema de marcações de transporte vai ser reorganizado e será montada uma central no IPO, onde um conjunto de pessoas irá gerir os transportes, "sem retirar naturalmente algum direito às pessoas".

"Aquilo que muda essencialmente é que as marcações passam a ser feitas pelo IPO e não pelas próprias pessoas [doentes]", acrescentou.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!