Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
5

Irão ameaça abandonar cooperação

O Irão ameaça pôr fim às suas “medidas voluntárias de cooperação” com a Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA), sobre o controlo do seu programa nuclear, incluindo as inspecções periódicas, seu o assunto for levado ao Conselho de Segurança da ONU, como pretendem as potências europeias e os EUA.
13 de Janeiro de 2006 às 10:31
“Se o caso for enviado ao Conselho de Segurança, os países europeus perderão os meios de que dispõem actualmente, porque o Governo está obrigado, de acordo com a lei votada no Parlamento, a pôr fim às medidas voluntárias de cooperação”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Manouchehr Mottaki.
O governante instou os países europeus a “tratarem com lógica” o assunto nuclear iraniano, afirmando que Teerão está disposto a prosseguir negociações com os mesmos. “Como prevê o Tratado de Não Proliferação”, o Irão tem o direito a possuir tecnologia nuclear. Ninguém pode impedir-nos de exercer esse direito”, disse Manouchehr Mottaki.
"Como firmante del Tratado de No Proliferación (TNP), Irán tiene derecho a poseer tecnología nuclear. Nadie puede impedirnos ejercer ese derecho", remató el responsable de Exteriores.
A 17 de Dezembro de 2005, o presidente ultra conservador iraniano Mahmud Ahmadinejad promulgou uma lei, aprovada em Novembro pelo parlamento, segundo a qual o país pode desrespeitar o regime reforçado de controlo das suas actividades nucleares e retomar o enriquecimento de urânio se o seu “dossiê nuclear for enviado para o Conselho de Segurança da ONU”.
Estados Unidos, Reino Unido, França e Alemanha decidiram na quinta-feira encerrar o diálogo com o regime do Irão, depois de constatar que aquele país pretende retomar o seu programa nuclear, e pedir uma reunião urgente com a AIEA para que este organismo convoque o Conselho de Segurança.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)