Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
8

Itália aceita liderar força de paz da ONU

O primeiro-ministro italiano, Romano Prody, afirmou que o seu país está disponível para liderar a força internacional das Nações Unidas a ser enviada para o sul do Líbano, no âmbito do acordo de tréguas estabelecido entre Israel e o Hezbollah. A Itália já pediu uma reunião urgente da UE para debater a participação dos 25 na força de paz.
22 de Agosto de 2006 às 09:43
Romano Prodi, comunicou ontem ao secretário-geral da ONU, Kofi Annan, a disponibilidade do país para assumir o comando da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (UNIFIL).
Prodi, que falava aos jornalistas na sua casa de férias, na Toscânia, revelou que Annan irá tomar uma decisão sobre o comando da UNIFIL até ao próximo fim-de-semana.
Itália já fez saber que poderá enviar para o território libanês cerca de três mil soldados, o maior número avançado até ao momento, mas não avançou ainda com uma confirmação oficial da medida.
A oferta do governo de Prodi está, no entanto, condicionada por um acordo a ser estabelecido numa nova resolução da ONU. Romano Prodi quer ver estabelecido modelos e prazos concertos que definam a força internacional a enviar para o Líbano.
A tarefa de liderar a força internacional da ONU deveria recair sobre a França que, no entanto, expressou uma séria preocupação com a falta de clareza sobre a autonomia dos capacetes azuis na região, tendo oferecido o envio de apenas 200 homens.
Entretanto, esta terça-feira, novos incidentes no sul do Líbano voltam a pôr em causa o frágil cessar-fogo estabelecido na região, na sequência da resolução 1701 da ONU. Tropas israelitas dispararam sobre três homens suspeitos de serem membros do Hezbollah. Israel confirmou o confronto e alegou que os três homens se aproximaram das suas tropas num “modo ameaçador”.
Dois dos homens morreram e o terceiro ficou ferido no incidente ocorrido perto da aldeia libanesa de Shama, a cerca de quatro quilómetros da fronteira com Israel.
O cessar-fogo foi declarado no sul do Líbano há nove dias, onde ainda permanecem tropas israelitas que serão rendidas pela força de paz internacional da ONU. Israel e o Hezbollah lançam acusações mútuas de violação do acordo.
ITÁLIA PEDE REUNIÃO URGENTE DA UE
A Itália pediu à presidência finlandesa da União Europeia a realização de uma reunião urgente entre os ministros dos Negócios Estrangeiros para discutir a participação dos Estados-membros na força de paz internacional da ONU a enviar para o Líbano.
Um porta-voz do ministro italiano dos Negócios Estrangeiros, Massimo D’Alema, citado pela agência de notícias Reuters, afirmou que a reunião deve realizar-se em Bruxelas até à próxima sexta-feira.
Numa declaração citada pelo jornal italiano ‘La República’, Massimo D’Alema exige a Israel o respeito absoluto pelo cessar-fogo, advertindo que só assim ITália envirá as suas tropas para o território.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)