Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
3

Loureiro envolvido em negócio ruinoso

O antigo administrador na Sociedade Lusa de Negócios (SLN), Dias Loureiro, terá sido um elemento fundamental no negócio que prejudicou o Banco Português de Negócios (BPN) em 38 milhões de euros.
14 de Fevereiro de 2009 às 14:12
Dias Loureiro, antigo administrador da SLN
Dias Loureiro, antigo administrador da SLN FOTO: Tiago Petinga/Lusa

De acordo com a edição deste sábado do semanário ‘Expresso', Dias Loureiro assinou dois contratos com um fundo que serviu de meio para a compra, por parte do BPN, de duas empresas em Porto Rico.

A assinatura do antigo administrador consta de vários documentos essenciais para o negócio, entre os quais dois contratos de um negócio que lesou o BPN em 38 milhões de euros.

Os dados agora divulgados contradizem as declarações de Dias Loureiro na Comissão Parlamentar de Inquérito ao caso BPN, altura em que afirmou aos deputados que não se lembrava de qualquer fundo destinado à compra das duas empresas tecnológicas.

'Eu assinava as contas no fim do ano porque havia auditorias, havia o Banco de Portugal e havia pessoas em que eu confiava cegamente, e portanto se aquilo estava bem daquele ponto de vista e se não havia reservas que me levavam a pensar que alguma coisa estava mal, eu assinava contas', disse Dias Loureiro, em entrevista à RTP em Novembro.

CAVACO MANTÉM CONFIANÇA CONSELHEIRO

O Presidente da República, Cavaco Silva, afirmou que já falou 'uma vez' sobre o assunto 'e é suficiente', recusando tecer novos comentários sobre o alegado envolvimento de Dias Loureiro num negócio prejudicial ao BPN.

Cavaco Silva pronunciou-se sobre a confiança no Conselheiro de Estado a 25 de Novembro, quando disse que não ter 'qualquer razão para duvidar' da palavra de Dias Loureiro, que lhe tinha garantido 'solenemente que não cometeu qualquer irregularidade' nas funções empresariais que manteve.

MARIA DE BELÉM NÃO COMUNICOU AO MP

A presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito ao caso BPN, Maria de Belém, considerou que não lhe cabe a si tomar nenhuma iniciativa individual de comunicar ao Ministério Público (MP) as alegadas falsas declarações de Dias Loureiro.

A deputada socialista adiantou que até ao momento os elementos da comissão ainda não tinham equacionado essa hipótese e escusou-se a adiantar se o irião fazer.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)