Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto

Maior endividamento familiar

O crédito bancário concedido às famílias residentes em Portugal aumentou 15,1% entre Junho de 2005 e o mesmo mês deste ano, no entanto, a eficácia dos bancos na recuperação dos empréstimos fez descer o volume total de crédito mal-parado em cerca de 6%, de acordo com o relatório mensal do Banco de Portugal publicado esta terça-feira.
22 de Agosto de 2006 às 17:13
Segundo o boletim estatístico do banco central português, o crédito concedido pelas instituições bancárias a particulares residentes em Portugal ascendia a um total de 111,123 mil milhões de euros em Junho de 2006, em comparação aos 96,56 mil milhões registados no mesmo mês do ano passado.
Do total do crédito concedido, 88,814 mil milhões dizem respeito a créditos de habitação, o valor mais baixo desde o passado mês de Fevereiro. Assim, o crédito mal-parado apresenta também o valor mais baixo de um ano, cerca de 1,13 mil milhões de euros.
No que respeita ao crédito total (habitação, consumo e outros fins) concedido a particulares, o total classificado pela banca como “duvidoso” é de 2,1 mil milhões de euros no final do primeiro semestre deste ano, menos 5,9% do total registado em igual mês de 2005.
O Banco de Portugal revelou ainda que as necessidades de financiamento das administrações públicas (excluindo a Administração Interna) registou um aumento de 4,9% em igual base de comparação, estando o endividamento das administrações regional (Regiões Autónomas) e local (autarquias) nos 4,117 mil milhões de euros no final do mês de Junho deste ano.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)