Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
8

Memória de Pessanha quase esquecida em Macau, 90 anos depois da sua morte

Lusa 28 de Fevereiro de 2016 às 08:11

O mais consagrado poeta português a viver em Macau morreu há 90 anos, mas o que resta na memória de Camilo Pessanha é uma estátua e uma rua: "Pe san ié kai", sendo que 'kai' significa rua.

O caráter "minoritário" da literatura portuguesa em Macau, e ainda mais da poesia e da corrente do simbolismo, explica, na opinião de académicos, a aparente ausência de Camilo Pessanha da cidade onde o poeta viveu 32 anos.

Esta aparente ausência deve-se, na opinião do presidente do Centro Pedagógico e Científico de Língua Portuguesa de Macau, a Pessanha "ter sido um poeta português" numa "cidade chinesa".

Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)