Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
9

Luz verde ao Marés Vivas junto ao estuário do Douro

Autorização do Ministério do Ambiente.
Lusa 5 de Abril de 2016 às 16:20
O festival de música Marés Vivas costuma ser realizado na praia do Cabedelo, em Vila Nova de Gaia
O festival de música Marés Vivas costuma ser realizado na praia do Cabedelo, em Vila Nova de Gaia FOTO: Eduardo Martins/Correio da Manhã

A Câmara de Gaia divulgou esta terça-feira ter sido confirmada pelo Ministério do Ambiente a "viabilidade da realização" do festival Marés Vivas junto ao Estuário do Douro onde serão implementadas medidas para minimizar o impacto do evento.

"Pela primeira vez na história da Reserva Natural Local do Estuário do Douro serão implementadas medidas de proteção e monitorização rigorosas que possibilitam a realização do evento em condições controladas, com supervisão científica e técnica independente", refere a autarquia em comunicado divulgado.

Segundo a câmara, foi já apresentado o relatório inicial da Comissão de Acompanhamento do Festival - criada pelo Ministério do Ambiente - onde se "confirma a viabilidade de realização do festival Marés Vivas no Parque Urbano de S. Paio, em Canidelo".

A realização do evento fica sujeita, contudo, a algumas medidas e "exigências que o festival terá de cumprir" para assegurar "uma coabitação com os valores ambientais e uma verdadeira valorização da importância da Reserva Natural Local do Estuário do Douro".

"No que diz respeito à responsabilidade do Município de Vila Nova de Gaia, definimos um novo desenho para o Parque Urbano de S. Paio que retira do projeto inicial um conjunto de elementos que consideramos excessivos e que comprometeriam a utilização deste espaço com atividades, em nosso entender, prejudiciais para a vizinha reserva", explica.

A câmara decidiu, por isso, retirar do novo espaço verde o parque de campismo com 'bungalows' em madeira, o edifício de apoio, o campo de futebol e o parque automóvel previstos no projeto de 2005.

A Câmara de Gaia divulgou ainda pretender criar "uma estrutura que trabalhará no sentido de fortalecer a zona de proteção da Reserva Natural Local do Estuário do Douro, enquadrando nessa zona o próprio Parque Urbano de S. Paio". No início de fevereiro a Quercus solicitou ao Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) um parecer sobre a legalidade e impactos ambientais do Festival Marés Vivas, alegando, entre outros, que o mesmo irá afetar as aves selvagens do estuário do Douro.

No final de março, o ICNF informou que a nova localização do festival Marés Vivas de Gaia está em ambiente urbano e não se encontra na proximidade de qualquer zona de proteção especial.

Contactada pela Lusa, a Quercus escusou-se a comentar para já o relatório inicial da comissão de acompanhamento do festival, criada no início do ano pelo Ministério do Ambiente.

A Lusa tentou ouvir a PEV Entertainment, empresa responsável pela organização do evento, mas tal não foi possível até ao momento.

A preparar-se para a sua 14.ª edição, o Marés Vivas vai mesmo ter de mudar de lugar e deixar o anterior espaço, junto à Douro Marina, onde está prevista, e licenciada pelo anterior executivo, a construção de sete prédios que podem ter até cinco pisos. Para o primeiro dia do festival de 2016, a realizar-se entre os dias 14 e 16 de julho, foi já confirmada a atuação do músico britânico Elton John.

Terá sistema para anular ruído na reserva do Estuário do Douro
A promotora do festival Marés Vivas garantiu que irá aplicar as recomendações do ministério do Ambiente para minimizar o impacto do evento e irá instalar um sistema de som capaz de anular o ruído no Estuário do Douro.

"O investimento no sistema de som será mais elevado este ano para anular na totalidade o ruído na reserva" Natural do Estuário do Douro, afirmou à Lusa Jorge Lopes, da PEV-Entertainment.

No dia em que foi conhecido o "Relatório de Progresso" da Comissão de Acompanhamento do Festival Marés Vivas, criada pelo Ministério do Ambiente, o responsável admitiu ter ficado "mais descansado com uma opinião técnica de que o evento não traz problemas à zona" onde ser irá realizar.

"Estamos mais descansados e vamos poder trabalhar mais afincadamente", assinalou, garantindo que, por parte da promotora, a realização do evento em Gaia "nunca esteve em causa".

Câmara de Gaia Ministério do Ambiente Marés Vivas Estuário do Douro
Ver comentários