Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto

Défice orçamental cai 543 milhões para os 4.980 ME até julho

Dados da Direção-Geral do Orçamento.
Lusa 25 de Agosto de 2016 às 17:11
Dívida pública
Dívida pública FOTO: António Cotrim / Lusa

O défice orçamental, registado em contas públicas, atingiu os 4.980,6 milhões de euros até julho, uma melhoria de 542,8 milhões de euros face ao mesmo período do ano passado, segundo a Direção-Geral do Orçamento (DGO).

De acordo com a síntese de execução orçamental hoje divulgada pela DGO, esta evolução do défice das administrações públicas entre janeiro e julho "resultou de um crescimento da receita (2,8%) superior ao da despesa (1,3%)".

Já o saldo primário (que exclui os encargos com a dívida pública) foi de 315,5 milhões de euros até julho, "valor que compara favoravelmente com o registado no período homólogo", um défice de 585,1 milhões de euros.

Estado arrecada mais de 21 mil ME em impostos até julho
O Estado arrecadou 21.366,6 milhões de euros em impostos até julho, uma evolução que se deveu integralmente à receita dos impostos indiretos (+8,4%), já que a dos diretos recuou 5,3%.

De acordo com a síntese da execução orçamental publicada pela DGO, entre janeiro e julho deste ano, entraram nos cofres do Estado 21.366,6 milhões de euros em receita fiscal, um aumento de 2,3% face ao mesmo período do ano passado.

Na nota, a DGO escreve que este aumento de 2,3% na receita fiscal arrecadada até julho é "totalmente explicado pelo desempenho favorável da receita dos impostos indiretos".

Pagamentos em atraso caem 3 ME até julho mas aumentaram 200 ME desde janeiro
Os pagamentos em atraso das entidades públicas caíram três milhões de euros em julho face ao mês anterior, atingindo os 1.140 milhões de euros, mas aumentaram 219 milhões desde o início do ano.

De acordo com a síntese da execução orçamental até julho hoje publicada pela Direção-Geral do Orçamento (DGO), esta redução do montante das dívidas da administração pública por pagar há mais de 90 dias "é principalmente atribuível aos hospitais EPE (-6 milhões de euros) e à Administração Local (-11 milhões de euros)".

No entanto, registou-se um aumento dos pagamentos em atraso no setor público administrativo da saúde (de sete milhões para os 15 milhões de euros) e na Administração Regional (de quatro milhões para os 188 milhões de euros) em julho.

Desde o início do ano, as dívidas das entidades públicas que estavam por pagar há mais de 90 dias aumentaram 219 milhões de euros, passando dos 921 milhões de euros em dezembro de 2015 para os 1.140 milhões no final de julho.

Este aumento é explicado sobretudo pelos hospitais EPE, cujos pagamentos em atraso aumentaram 224 milhões de euros nos primeiros sete meses de 2016, atingindo os 675 milhões de euros em julho.

Orçamento DGO economia negócios e finanças macroeconomia política orçamento do estado e impostos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)