Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
9

Descongelamento das carreiras no Estado será gradual

Centeno escusou-se a garantir se tal acontecerá em 2017 ou 2018.
Lusa 18 de Novembro de 2016 às 14:09
O ministro das Finanças, Mário Centeno
O ministro das Finanças, Mário Centeno FOTO: Pedro Catarino

O ministro das Finanças disse esta sexta-feira que o descongelamento das carreiras dos trabalhadores do Estado será gradual, devido a restrições orçamentais, mas não esclareceu se isso será feito já em 2017 ou apenas em 2018, como previsto inicialmente.

Na audição que decorre na Comissão parlamentar de Orçamento, Finanças e Modernização Administrativa, o deputado do CDS-PP António Carlos Monteiro citou uma notícia que dá conta de que o Governo pretende desbloquear as carreiras nas empresas públicas no próximo ano, para criticar o executivo por deixar de fora os restantes trabalhadores do Estado.

Mário Centeno respondeu à provocação do deputado centrista, de que o Governo "estaria a criar trabalhadores de primeira e de segunda", mas não entrou em pormenores sobre a medida, sem negar também a notícia.

"O que vamos continuar a fazer é repor um conjunto de condições mínimas de exequibilidade de uma atividade produtiva, porque o que se passa na Administração Pública é uma atividade produtiva, que tem de ter condições para trabalhar", disse o ministro.

Lembrando que "essas condições não foram garantidas nos últimos anos", Mário Centeno assegurou que o executivo vai adotar gradualmente medidas nesse sentido.

"Gradualmente, e como todas as medidas que estão a ser adotadas por caráter gradual, porque nós conhecemos exatamente as restrições que temos, essas medidas vão ser repostas, para que também setorialmente o serviço público que é prestado em cada uma das áreas possa ser realidade", afirmou o ministro.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)