Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
3

Papa autoriza beatificação de 21 espanhóis mortos durante a Guerra Civil

Francisco reconheceu "o martírio" por "ódio da fé".
2 de Dezembro de 2016 às 15:19
FOTO: Reuters
O papa Francisco reconheceu "o martírio" de 21 espanhóis, assassinados durante a Guerra Civil espanhola (1936-39), que vão ser beatificados, informou hoje o Vaticano.

Francisco reconheceu "o martírio" por "ódio da fé" - o que permite à Igreja Católica declarar alguém beato sem necessidade de um milagre - do padre Vicente Queralt Lloret, nascido em Barcelon (nordeste de Espanha) em 1894 e assassinado a 30 de novembro de 1936.

O padre Queralt lidera a causa da beatificação apresentada pela diocese de Valencia (leste), na qual estão incluídos outros 20 espanhóis: seis religiosos da congregação de Queralt, cinco diocesanos, duas religiosas da ordem das Filhas da Caridade e sete laicos da associação Filhos de Maria da Medalha Milagrosa.

O papa reconheceu também as virtudes heróicas, primeiro passo para o processo de beatificação, de Luz Rodríguez-Casanova y García San Miguel, fundadora da congregação das Damas Apostólicas do Sagrado Coração, nascida em Avilés a 28 de agosto de 1873 e morta a 08 de janeiro de 1949 em Madrid.

Francisco assinou ainda o decreto das virtudes heróicas de José Bau Burguet, sacerdote diocesano e pároco em Masarrochos (Valência), nascido a 20 de abril de 1867 e morto a 22 de novembro de 1932.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)