Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto

Papa diz que liberdade de expressão não permite insultos

"Todos têm não apenas a liberdade, o direito, como também a obrigação de dizer o que pensam", disse Francisco.
Lusa 15 de Janeiro de 2015 às 13:33
Francisco condenou os assassínios cometidos em nome da religião
Francisco condenou os assassínios cometidos em nome da religião FOTO: Alessandro Bianchi/Reuters

O papa Francisco defendeu esta quinta-feira que a liberdade de expressão é um direito fundamental, que não permite "insultos à fé dos outros", acrescentando que "matar em nome de Deus" é "uma aberração".

"Não podemos provocar, não podemos insultar a fé dos outros, não podemos ridicularizá-la", disse aos jornalistas a bordo do avião, que levou o papa de Colombo para Manila, quando questionado sobre as caricaturas do semanário satírico francês Charlie Hebdo, alvo de um atentado que causou 12 mortos, na semana passada, em Paris.

A liberdade de expressão deve "exercer-se sem ofender", disse, sublinhando que expressar-se era um "direito fundamental".

"Todos têm não apenas a liberdade, o direito, como também a obrigação de dizer o que pensam para ajudar o bem comum. É legítimo usar esta liberdade, mas sem ofender", insistiu, pedindo verdade, principalmente na atividade política.

Francisco condenou também os assassínios cometidos em nome da religião.

Papa Francisco Charlie Hebdo
Ver comentários