Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
1

Passos: “É preciso oferecer verdadeiras oportunidades”

O presidente do PSD considerou, neste sábado, que se Governo decidiu mudar o acesso ao ensino superior através do Novas Oportunidades "corrige uma injustiça", mas não chega, é preciso uma auditoria externa para melhorar esse programa.
21 de Maio de 2011 às 13:19
"O que nós temos de melhorar é a auditoria externa sobre o Novas Oportunidades e melhorar o Novas Oportunidades de maneira a que ele possa servir às pessoas que se candidatam a essa segunda oportunidade", reforçou o líder do PSD
'O que nós temos de melhorar é a auditoria externa sobre o Novas Oportunidades e melhorar o Novas Oportunidades de maneira a que ele possa servir às pessoas que se candidatam a essa segunda oportunidade', reforçou o líder do PSD FOTO: José Sena Goulão/Lusa

Segundo a edição do semanário ‘Expresso', quem obtiver equivalência ao ensino secundário através do programa Novas Oportunidades vai poder continuar  a concorrer ao ensino superior, mas terá "vagas adicionais", deixando de "tirar o lugar a candidatos que tenham feito o percurso no ensino regular e completado todas as disciplinas do secundário".  

Ainda de acordo com o Expresso, o Ministério do Ensino Superior anunciou, numa nota enviada para este jornal, que "as regras vão mudar já no concurso deste ano, que se inicia em Julho".  

Questionado sobre esta notícia, durante uma acção de campanha em Setúbal, o presidente do PSD começou por sublinhar que "até hoje não foi assim, houve entrada directa em competição com os alunos que vêm do currículo normal do ensino secundário, e isso criou algumas perversões".  

Pedro Passos Coelho acrescentou que "ficou conhecido, toda a gente se lembra, aquele caso de um candidato que fez um único exame de inglês, sendo uma língua preferencial, teve 20 e foi o melhor aluno a entrar no ensino superior. Ele próprio reconheceu a injustiça."  

"Portanto", acrescentou, "se o Ministério da Educação vai corrigir isso, eu acho que corrige uma injustiça".  

No entanto, no entender de Passos Coelho, é preciso "corrigir mais  injustiças" e "oferecer às pessoas verdadeiras oportunidades" e certificados que tenham reconhecimento "no mercado de trabalho" - o que, alegou, não aconteceu com "a maior parte das pessoas" que se inscreveu no Novas Oportunidades. 

"O que nós temos de melhorar é a auditoria externa sobre o Novas Oportunidades e melhorar o Novas Oportunidades de maneira a que ele possa servir às pessoas que se candidatam a essa segunda oportunidade", reforçou.  

passos coelho psd novas oportunidades ensino superior
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)