Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
5

Pastor Adventista abusava de criança

Factos de que o arguido está acusado terão acontecido em vários locais ao fim de semana.
João Nuno Pepino 26 de Março de 2018 às 00:30
Pastor evangélico, suspeito do crime de abuso sexual, vai ser julgado no Tribunal Judicial de Santarém
Tribunal de Santarém
Pastor evangélico, suspeito do crime de abuso sexual, vai ser julgado no Tribunal Judicial de Santarém
Tribunal de Santarém
Pastor evangélico, suspeito do crime de abuso sexual, vai ser julgado no Tribunal Judicial de Santarém
Tribunal de Santarém
Um pastor da Igreja Adventista do Sétimo Dia de Tomar vai ser julgado no Tribunal de Santarém por um crime de abuso sexual de crianças de trato sucessivo, uma vez que os atos pelos quais está acusado se prolongaram ao longo de seis anos.

O arguido, de 57 anos e nacionalidade brasileira, é suspeito de ter começado a abusar de uma menina em 2009, quando esta tinha sete anos, e só parou em 2015, quando a relação de excessiva intimidade que tinha com ela começou a ser motivo de comentários entre os crentes da igreja.

Segundo o despacho de acusação do Ministério Público (MP), a que o CM teve acesso, o homem aproveitou-se não só do facto de ser o pastor da comunidade religiosa, mas também da relação de amizade próxima que manteve com os pais da vítima.

Os alegados episódios de abusos ocorreram dentro da igreja, na garagem da sua casa, quando o casal e a filha o visitavam aos fins de semana, na casa da avó da menor, onde o pastor se deslocava para lhe ministrar estudos bíblicos, e até no seu carro, pois esperava-a à porta da escola para lhe dar boleia.

Um dos muitos episódios sórdidos descritos na acusação terá ocorrido num acampamento adventista em Penela, onde o arguido chamou a vítima atrás de uma tenda e lhe pediu que bebesse um copo com um líquido branco, que seria o seu próprio esperma.
O MP refere que o pastor não teve relações sexuais com a menor, mas que a apalpava nas zonas mais íntimas e que chegou a exibir o seu pénis, pedindo-lhe para lhe fazer sexo oral.

PORMENORES
Facebook
Quando aumentaram as suspeitas, a família entrou na conta de Facebook da menor e encontrou várias conversas amorosas, onde o arguido chega a dizer que pretendia casar com ela quando fizesse 18 anos.

Despedido
O pastor foi despedido da Igreja Adventista do Sétimo Dia em janeiro de 2015, quando esta congregação deliberou que não era pessoa "moralmente indicada" para representar a instituição.

Nega os factos
O pastor adventista, quando foi ouvido por um juiz de instrução em primeiro interrogatório judicial, negou a prática de todos os factos que lhe são imputados pelo Ministério Público no processo.
pastor evangélico criança greja Adventista do Sétimo Dia Tomar Santarém
Ver comentários
}