Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
5

Polícia varre todas as casas do Complexo do Alemão

As autoridades dos Rio de Janeiro efectuaram esta manhã, cerca das 10h00 (hora de Lisboa), um assalto ao Complexo do Alemão, um grupo de favelas onde se encontram centenas de narcotraficantes. Todas a casas foram averiguadas e, menos de duas horas depois, o comandante-geral da polícia militar veio declarar que "venceram" os traficantes.
28 de Novembro de 2010 às 12:15
Não houve algemas suficientes para todos os suspeitos levados para interrogatório
Conquistado o morro, a Polícia Militar começou a deter suspeitos de serem narcotraficantes
Polícia Militar também deteve mulheres durante a mega-operação
Camuflagens mais habituais em cenários em guerra foram vistos na Zona Norte do Rio de Janeiro
Alguns agentes das forças da lei avançaram de cara tapada para proteger a sua identidade
Mega-operação contou com apoio aéreo para vigiar as movimentações dos traficantes
População civil tratou de abrigar-se para evitar quaisquer eventuais balas perdidas
Coluna de militares teve que subir as ruas inclinadas do Complexo do Alemão
Soldado num blindado com a paisagem típica das favelas cariocas ao fundo
Polícias e soldados começaram a avançar para o topo da favela
Polícia Militar carrega armas apreendidas aos traficantes depois de tomarem o morro
Não houve algemas suficientes para todos os suspeitos levados para interrogatório
Conquistado o morro, a Polícia Militar começou a deter suspeitos de serem narcotraficantes
Polícia Militar também deteve mulheres durante a mega-operação
Camuflagens mais habituais em cenários em guerra foram vistos na Zona Norte do Rio de Janeiro
Alguns agentes das forças da lei avançaram de cara tapada para proteger a sua identidade
Mega-operação contou com apoio aéreo para vigiar as movimentações dos traficantes
População civil tratou de abrigar-se para evitar quaisquer eventuais balas perdidas
Coluna de militares teve que subir as ruas inclinadas do Complexo do Alemão
Soldado num blindado com a paisagem típica das favelas cariocas ao fundo
Polícias e soldados começaram a avançar para o topo da favela
Polícia Militar carrega armas apreendidas aos traficantes depois de tomarem o morro
Não houve algemas suficientes para todos os suspeitos levados para interrogatório
Conquistado o morro, a Polícia Militar começou a deter suspeitos de serem narcotraficantes
Polícia Militar também deteve mulheres durante a mega-operação
Camuflagens mais habituais em cenários em guerra foram vistos na Zona Norte do Rio de Janeiro
Alguns agentes das forças da lei avançaram de cara tapada para proteger a sua identidade
Mega-operação contou com apoio aéreo para vigiar as movimentações dos traficantes
População civil tratou de abrigar-se para evitar quaisquer eventuais balas perdidas
Coluna de militares teve que subir as ruas inclinadas do Complexo do Alemão
Soldado num blindado com a paisagem típica das favelas cariocas ao fundo
Polícias e soldados começaram a avançar para o topo da favela
Polícia Militar carrega armas apreendidas aos traficantes depois de tomarem o morro

À polícia miliatar juntaram-se cerca de 2.600 páraquedistas, fuzileiros navais, membros das forças de elite da polícia (BOPE), apoiados por blindados "Cascavel" e helicópteros.

Nos blindados estavam homens do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) da Polícia Militar do Rio de Janeiro, que habitualmente costumam enfrentar os narcotraficantes nas favelas cariocas.

Em declarações à Globo, Mário Sérgio Duarte. comandante-geral da polícia militar afirmou peremptoriamente: "Vencemos".

Meia-hora antes, tinha sido o subchefe operacional da Polícia Civil, Rodrigo Oliveira, a dizer que a operação estava a correr de feição para as autoridades. "O Estado está dentro do Conjunto de Favelas do Alemão. O território jamais será dado de volta aos criminosos. Já dominamos o Alemão", disse Rodrigo Oliveira.

Rio de Janeiro Traficantes BOPE Brasil Favelas
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)