Quase três mil pessoas acusadas por adultério em Marrocos no ano passado

Por Lusa|13.06.18
  • partilhe
  • 2
  • +

Quase três mil pessoas foram acusadas pelo crime de adultério e 200 pela prática da homossexualidade, no ano passado, em Marrocos, de acordo com um relatório divulgado hoje pela Procuradoria-Geral do país.

O adultério é considerado "um crime contra a boa ordem da família e da moralidade pública" e é punível no país com penas de até dois anos de prisão. Em 2017, foram acusados formalmente 2.890 marroquinos.

Segundo o mesmo relatório, 197 pessoas foram acusadas no ano passado pela prática da homossexualidade. Definida como "a prática de atos contra a natureza com indivíduos do mesmo sexo", a homossexualidade ainda é punível no país com penas de até três anos de prisão.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!