Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
1

RADAR SUÍÇO ESTAVA EM FALTA

O sistema de controlo aéreo suíço voltou a ser posto em causa no âmbito do rescaldo da colisão aérea sobre a Alemanha, que provocou 71 mortos, ao ser revelado que o radar de apoio não está de acordo com os padrões europeus e que o aviso tinha sido feito uma semana antes do acidente.
4 de Julho de 2002 às 09:33
O director do Gabinete Federal Suíço de Investigações de Acidentes Aéreos, Jean Overney, elaborou um relatório, na semana passada, alertando para o facto de o radar necessitar de ser melhorado, por forma a cumprir as novas normas estipuladas pela agência europeia de controlo aéreo, Eurocontrol.

A revelação, feira ontem à noite na televisão suíça, aumenta a pressão sobre os controladores aéreos suíços, depois de já ter sido revelado que o sistema de alerta para colisão aérea em Zuirque estava desligado, para manutenção de rotina, e que o controlador de serviço tinha estava a cumprir um breve descanso quando um Tupolev 154 russo chocou no ar com um Boeing 757 de carga, na segunda-feira à noite.

O avião russo tinha 69 pessoas a bordo, 52 das quais crianças que iam para uma estância de férias em Espanha. O avião de carga pertencia à empresa postal DHL e tinha apenas duas pessoas a bordo. Não houve sobreviventes.

Cerca de 140 familiares das vítimas russas chegam hoje a Ueberlingen, nas margens do Lago Constança, para a difícil identificação dos cadáveres.

As autoridades russas estão a reagir com indignação ao facto de as sugestões iniciais, emanadas do controlo aéreo suíço, apontarem para culpa do piloto do Tupolev 154, alegadamente por não ter entendido as ordens do solo. A Bashkirian Airlines devolveu a acusação, culpando os suíços pelo acidente.

O investigador suíço Overney disse à televisão suíça que os problemas de radar eram suficientemente graves para obrigar a melhoramentos, capazes de permitir ao sistema controlar devidamente os novos tamanhos dos corredores aéreos de grande altitude, que foram estreitados de 600 para 300 metros.

Overney não especificou quais os problemas do radar, mas a televisão suíça adiantou que, por exemplo, a actualização das posições dos aviões nos ecrãs dos controladores é feita a cada 12 segundos, em vez dos oito recomendados pelo Eurocontrol.

Carlo Bernasconi, chefe de operações na Skyguide, comentou que as recomendações do relatório Overney nada têm a ver com o acidente de segunda-feira, com a possível excepção do tempo de actualização nos ecrãs. Caso fossem oito segundos, o piloto russo poderia ter sido avisado quatro segundos mais cedo.

A Skyguide admite que o alerta feito ao piloto, com 50 segundos de antecedência, foi curto, mas acrescenta que o piloto demorou 25 segundos a reagir.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)