Barra Cofina

Correio da Manhã

Cm ao Minuto
7

"Repensar organização" no combate às chamas

Fernando Curto, Presidente da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais, sobre falhas no combate aos fogos.
6 de Setembro de 2013 às 00:12

Correio da Manhã – O que falhou para morrerem tantos bombeiros este ano no combate aos fogos florestais?

Fernando Curto – Falhou a prevenção e a coordenação. É toda uma estrutura nacional que está a falhar, começando logo pelo Ministério da Agricultura e a Direção Geral de Florestas. É preciso fiscalizar e multar quem não cuida dos seus terrenos, sejam de particulares, sejam do Estado.

Há falta de experiência entre os bombeiros que são enviados para os fogos?

Não. Morreram bombeiros com 50 anos e com 18. O problema está na coordenação. Não se podem pôr os bombeiros na testa do fogo. É preciso repensar a organização e os meios. Por exemplo, porque não se usa calda nos meios aéreos. Já se viu que só água não chega.

A forma como se combatem fogos em Portugal está assim tão errada? O que é preciso mudar?

Há uma falência enorme do sistema. O ordenamento da floresta está errado. O Ministério da Administração Interna investe no combate, mas o da Agricultura não o faz na prevenção. E há o problema da estatística. Põem-se bombeiros em risco para que os relatórios mostrem menos um hectare ardido.

fogos Fernando Curto bombeiros incêndios administração interna
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)